[Entrevistas] - Raquel Matsushita

Olá amorecos, hoje trago uma entrevista com mais uma autora nacional, Raquel Matsushita, 46 anos (Livro Claro Cleusa, Claro Clóvis - Editora do Brasil - Resenha AQUI) - espero que curtam.








"Gosto de ler porque a literatura traz reflexões conscientes e inconscientes a respeito da vida e da natureza humana. É uma forma de espelhamento, de nos compreendermos melhor".










Seu primeiro livro lido ela não recorda, mas menciona que os que ela leu e que marcou sua vida foram: A bolsa amarela e Corda Bamba de Lygia Bojunga. Ambos foram indicação escolar.

"A leitura agrega conhecimento, mas principalmente, autoconhecimento. Acho que a literatura tem essa força de um novo olhar sobre aquilo que parecia estar estagnado ou mesmo sobre algo novo. Ela nos leva adiante, nos dá acesso aos sentimentos mais profundos".





No atual momento está lendo Antes do baile verde, também da Lygia Bojunga, iontercalando com a Trilogia do Adeus, de João Anzanello Carrascoza.







Quando questionada qual seu livro favorito menciona ser difícil a escolha, típico de leitor né rs.

"Gosto muito de pensar mais num estilo de livro que me atrai do que um único titulo. Tanto nos livros para a infância ou para a vida adulta, gosto daqueles qeu funcionam como uma chave para reflexão. Que seja apenas um começo e não um final em si mesmo".

Quando questionada sobre qual personagem gostaria de ser, ela não exitou em mencionar algo bem aventureiro:


"Quando criança, queria ser um personagem do filme História sem fim... um menino que voava sobre um cachorro/dragão... Juntos atravessavam realidade e iam para lugares que eram pura fantasia, cheio de outros personagens esquisitos e interessantes. Era uma liberdade de pensamentos ".

Seus livros:

Claro Cleusa. Claro Clóvis





O foco do livro é a fase natural do desenvolvimento da sociedade infantil, quando as crianças se relacionam em duplas, depois em trio... e por último em grupos maiores.

"O livro trata, portanto, do amadurecimento das relações humanas e do encontro individual coma própria identidade. Esse caminho - muito prazeroso e repleto de conflitos - é essencial na construção das amizades saudáveis e respeitosas. Um aprendizado que levamos para a vida adulta".

Quanto aos personagens serem formas geométricas, foi intencional, para logo de cara desconstruir uma expectativa de senso comum. Com essa condição, introduzi na prática a vivência da diferença de ponto de vista. Não tem o certo, nem o errado, mas sim, o olhar individual de cada um.

Além desse, a autora publicou outros livros como: "Eu (não) gosto de você!" - conta a história da chegada de um irmão e os sentimentos que são despertados nesse momento; "Não, sim, talvez" - reflexão sobre as verdades absolutas; "A bola do vizinho" - competição entre dois vizinhos, que sentem na pele as consequências de seus comportamentos. Espero em breve vir resenhar pra vocês essas belezuras.


Pra finalizar, deixarei as palavras da autora a respeito do blog, espero que se inspirem e voltem sempre após essas palavras:


"Acho importante qualquer iniciativa que fomente a leitura. É muito bom termos olhares variados sobre os livros. Mas não é apenas isso. Os blogs, atualmente, fazem a parte da cadeia do livro. É um tipo de mediação entre o livro e o leitor...".

Por hoje é só amorecos, beijokas!!!

7 comentários :

  1. Amei conhecer a autora :)

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie amore, fico feliz que tenha gostado de conhecê-la.
      Espero que conheça os demais que já estão na nossa coluna aqui no blog.
      Obrigada pela visita!
      Beijokas!

      Excluir
  2. Oi, Grazielli! :D
    Não conhecia a autora ainda, mas gostei muito de saber sobre o que tratam as suas obras, pois essa temática relacionada à reflexão sobre o comportamento humano me interessa muito. Assim como ela, também li "A bolsa amarela" quando era criança e gostei muito. Penso que talvez eu possa gostar e me identificar com seus livros, então já quero conhecê-los. Adorei a resenha! Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia a autora, mas gostei da entrevista e vejo que ela é fã da Lygia Bojunga, escritora que gosto também. E me impressionou o número de publicações que ela possui e eu não sabia. Agora irei me aprofundar mais nas suas obras e se me interessar em alguma, irei ler.

    ResponderExcluir
  4. Tudo bem? Ainda não conhecia a autora e acho bacana os projetos de entrevistas, pois nos dá oportunidade não apenas de conhecer um livro, mas de conhecer que está por "trás" dele.
    Ótima entrevista. Excelente post.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  5. Olá! Não conhecia a autora, mas sempre gosto de posts com entrevistas, porque trás a oportunidade de conhecermos tanto um bom autor quanto suas obras. Acho que os nacionais devem ser olhados com carinho! A literatura é isso, trazer visões novas e diferentes. Obrigada pelo post!

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  6. adorei conhecer um pouco da autora e seus livros (amei os títulos e premissas) e também gostei dela ter falado que os personagens são formas geométricas pra desconstruir o senso comum, fiquei curiosa!

    Virando Amor

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário