[Entrevista] - Agatha de Assis (Autora Parceira)

Olá amorecos, espero que estejam bem.
Hoje trago pra vocês entrevista com a autora Agatha de Assis, parceira do blog. 


























"...sim, este é o meu nome mesmo, embora não ele todo, porque ficou gigante depois que me casei. Mas muitas pessoas acham que eu inventei o "Assis" como estratégia de juntar dois autores (Agatha Chritie e Machado de Assis), mas essa coincidência é real e muito bacana..."

Agatha tem 28 anos, é autora de livros e de um blog com textos lindíssimos, recomendo a leitura (Clique AQUI). Ela considera ter a visão de uma pessoa mais madura. 

"Não levo a vida tão a sério, sempre que posso me comprometo comigo mesma de sair, me divertir, fazer coisas que me deixam mais leve. Viver não é só correr atrás das coisas, é também usufruir de suas vitórias, mas sempre de forma lícita..."

Ama ler e escrever.

"Amo ler, principalmente livros que estejam ligados a algum tipo de realidade. Adoro ler e reler clássicos, ele nos traz um conhecimento diferenciado, justamente por tratar de coisas que acontecem hoje, mas com outro tipo de visão. Os clássicos mostram quando comparamos ao nosso mundo atual, o quanto o ser humano deixou muito de ser pensante, um ser questionador. Pois, hoje, é muito fácil simplesmente ir ao Google que tudo está em suas mãos. Eu gosto de aprender com os autores que se foram, de que eu sou humana e tenho capacidade para ser mais do que simplesmente prática.
E acredito que ler não é só uma coisa essencial para um escritor, como algo irrefutável sem sentido caso o escritor não tenha sesse hábito; então, neste caso eu diria que para mim não é um escritor, só é uma pessoa que gosta de escrever coisas se nenhum conteúdo. Pois a leitura está ai para isso e muitas outras coisas, não ler, sendo escritor é o mesmo que pintar sem poder enxergar (mas... como hoje, infelizmente, tudo é considerado arte, sempre será difícil valorizar de fato quem se doa em sua arte). Já a escrita, só pelo tamanho da resposta, pode perceber o quanto escrever pra mim é como respirar, rs..."

Comente o motivo da escrita ser "seu mundo": 

"A escrita é meu mundo, porque meu dom e talento estão nela. Simples assim. E isso faz crescer em mim minha própria identidade, quem eu sou de verdade. A razão de tudo que se manifesta no caráter e na vida de qualquer cidadão que valorizam seus dons e talentos."


Suas escritas são sempre intensas e cheias de sentimentos, comente como se iniciou isso e porque?

"Existem coisas que precisam ser pensadas, questionadas... Minha intenção é trazer uma forma de pensamento profundo e preciso sobre nosso cotidiano. Eu o vejo como uma válvula de escape tanto para mim quanto para quem ler. Eu assumi isso, porque foi este o talento que tenho. Deus me capacitou para escrever tanto histórias fictícias quanto crônicas opinativas, motivacionais, e coisas que envolvem nossa realidade. Nosso estado emocional, espiritual, físico. Elas estão lá para dar apoio para ensinar através dos nossos erros. Eu aprendi a dividir com os meus semelhantes às coisas que a vida me ensinou; e uma delas é "nunca ser egoísta". Até pensamentos podem ser distribuídos como alimentos, mas neste caso, para a alma."

Ela acredita que a leitura agrega mais do que qualquer coisa, a liberdade ao leitor, além disso, permite ao leitor que conheça coisas reais e/ou imaginárias, mas que sempre lhe trará um significado, uma forma de se tornar resistente a vida, e trazer a doçura a ela através do caminho que se abre em sua mente, simplesmente porque agora ele conhece as coisas. Não todas, mas o suficiente para sempre desejar mais conhecimento.
Em seu blog ela tem uma TAG chamada #escrevendoparanascer que nasceu com a ideia de expandir a escrita que motiva, que acalenta, que traz boas coisas a quem precisa ler através da hastag. 

"Depois vieram os projetos sociais, que precisam muito de apoio. Como ler para um cego, ou um analfabeto. Visitar crianças carentes e idosos, ler para eles, conversar com eles e levar motivação, oração, a palavra de Deus também. Por enquanto é só o que consigo fazer, pois é preciso ajuda para fazer mais, e, eu tenho buscado por ela."

Falando de Seus Livros  


Resenha AQUI



Meus livros vêm com uma pegada parecida com que escrevo em textos avulsos, mas, são diferentes por tratar de serem ficções. Eu uso e abuso muito mais das ficções, porque nelas eu não tenho limite para parar, eu vou escrevendo, colocando personagens em situações "metafóricas" ou reais na intenção de mostrar ao leitor sua resiliência.



Resenha AQUI



Tento mostrar ao leitor o quanto ele é sortudo só pelo fato de não ter vivido aquela situação. E que por mais que ele pense que ninguém o entenderá, sim, vai sempre existir alguém, mesmo que este seja nosso maravilhoso Deus. E acho que para mim basta; só o olhar de Deus para um ser imerecido da graça, passa por cima de qualquer olhar humano. Por isso, uso o sobrenatural para mostrar alguma forma que, mesmo no fim, e mesmo com a morte, não estamos perdidos.



2 comentários :

Deixe seu comentário