[Entrevista] - Malu Adams - (Autora Parceira)



Bom domingo amorecas lindas, hoje trago uma entrevista com nova autora, parceira do blog.

M. Adams (pseudônimo) como prefere ser chamada além de autora é amante da leitura assim como nos:

"... Ler me transporta para o mundo mágico onde posso ser quem eu quiser 
e por isso acho que é uma das minhas maiores paixões...".

Seu primeiro livro lido foi "O pequeno príncipe", não por escolha própria, afinal, ganhou-o de presente aos 6 anos e desde então ficou apaixonada pelo universo de sonhos dele e sua rosa.


Atualmente ela está acompanhando algumas histórias, uma delas é "O Inferno de Gabriel - Syvain Reinard".

"... Amo demais e na minha opinião essa trilogia (história de Dante e Beatriz da Divina Comédia) contextualiza nossos dias. Amo clássicos e amo ainda mais suas releituras, mas deixo claro que O inferno de Gabriel não é uma releitura da Divina Comédia. A trilogia conta a história do enigmático e sedutor Gabriel Emerson e da jovem doce e inocente Julia Mitchell, o livro pode até ser baseado em clichês como a garota pobre que sempre amou o homem rico e a aluna se envolvendo com professor, mas para por aí. A narrativa é envolvente e muito bem estruturada. É possível se perder ao longo da história, os diálogos são inteligentes e os personagens são profundos e nada previsíveis".



Quanto ao seu livro favorito, ela declara ser apaixonada por "Alice no País das maravilhas - Lewis Carrol", por carregar consigo o poder de fazer o leitor se sentir em casa mesmo quando é a primeira vez que ele está sendo lido.

"...certamente é um livro que merece ter um lugar de destaque não só na estante, como também, no coração daquele que o está lendo. Pelo menos foi essa a conclusão que eu cheguei após passar horas fantásticas com Alice, perdida em um universo mágico onde tudo pode acontecer...".



Quando questionada sobre qual personagem gostaria de ser, se pudesse, não hesitou em dizer que seria Julia Mictchell, personagem de sua última leitura, mencionada a pouco.

"... além de ser uma personagem extremamente inteligente ela ainda fica com o Gabriel rsrsrs...".




Seu Livro




Lunna uma jovem sonhadora, decidiu arriscar tudo em busca da realização de seu sonho. É uma menina maluquinha sem filtro em relação ao que fala, falando o que quer que seja que venha em sua mente, motivo esse que a faz se meter em algumas confusões, além disso, é uma garota sem muitas bagagens, ainda assim consegue deixar as pessoas que a cercam extremamente felizes, resta saber se será capaz de fazer feliz Guilhermo, um cardiologista que após ter passado por um trauma resolveu abandonar tudo e passar um ano no Himalaia, e agora está de volta a NYC, cidade essa que ele só queria distância.

A autora nos contou que é possível que escreva um segundo volume do livro, contando a história de Vincenzo, irmão de Guilhermo.



Bom amorecos, por hoje é só, amanhã trago mais novidades!!!!

Lançamentos (Janeiro 2016)


Oi lindezas, hoje trago pra vocês alguns lançamentos do mês, que prometem bombar.

Pra começar trago um livro que desde seu título até sua capa e pelo visto sua história compõem um conjunto espetacular, é o livro Amores de Cetim da Laizy Shaine, publicado em e-book pela Amazon (aqui) - R$ 9,00, vale a pena conferir.



Gabryela Reus, estudante de Direito e super estudiosa e trabalhadora, fugindo totalmente do clichê de garotinha mimada e patricinha. Divide o apartamento onde mota em Nova Iorque com sua amiga de infância Anne.
Seu namorado Robert sempre foi o "cara perfeito" para ela, até que descobre que de príncipe encantado ele não tem nada. E como numa sequência de acontecimentos, além de perder o namorado, perde sua mãe e o emprego, resta saber se só serão coisas ruins a acontecer em sua vida, ao que me parece não, afinal, existem três homens loucamente apaixonados por ela, pra onde ela ira correr para o corpo, pra razão ou para o seu coração?






Outro livro que está sendo lançado também na Amazon (disponível aqui) - R$ 5,99, , é o livro O vampiro da Quinta da Boa Vista: Tetralogia Terra Prometida - Livro 1 do Leonardo Barros. O autor está de volta com mais uma história de suspense e fantasia.
Traz uma história em Londres, em meados de 1831, onde vampiros se esbaldam com o sangue de bêbados e de prostitutas, vivem se escondendo nas sombras das ruas mal iluminadas. Dotan, um lobisomem vive a caçar esses vampiros juntamente com Lucius, seu filho adotivo, um vampiro que se nega a atacar os humanos. E esses vampiros começam a migrar para o Brasil e os dois caça vampiros, resolvem investigar e pra isso começam a buscar aliados e com isso conhecer melhor o Brasil e seus "segredos".

O safado do 105 - Mila Wander



Amorecos, nem sei por onde começar, mas, vamos lá!!! Agradeço enormemente ao amigo Felipe Brandão que me mandou com muito carinho esse livro, e vamos e convenhamos, QUE LIVRO!!! 
Na verdade nem preciso ficar aqui elogiando o livro nem a autora, afinal, um livro que saiu do Wattpad com mais de 4 milhões de leitores na mínima se trata de um bom livro, ou que instigou quem o leu de alguma maneira. Tem uma capa um tanto quanto provocadora (ainda vou achar algum "safado" pra fazer uma foto bem bacana), seus capítulos são iniciados de maneira elegante e com frases que dão pistas do que vem a seguir. Então vamos a história em si:

Clique pra COMPRAR
O safado do 105 traz a história de Raíssa Magalhães que, enfim vai morar sozinha, pra conquistar sua tão desejada liberdade, afinal morava antes na casa de seus pais, com seus irmãos e sua avó que ama muito. O que ela não imaginava era que seu mais novo vizinho seria um "...sujeito alto, moreno, com as costas largas..." com uma vida sexual totalmente ativa, e como se não bastasse, por se tratar de uma casa germinada, ela conseguia ouvir todos os dias os sons e vozes, provocados pelo ato em si, além é claro de ver coisas às quais jamais imaginou em sua vida.

"...Uma casinha estilo Barbie... parecida com a que eu implorei para a que a minha mãe comprasse pra mim quando tinha sete anos... Não sei o que me deixou assustada: assistir ao cara beijando as três mulheres de uma só vez - e na boca! se ver o corpo estupendo ou o fato de ele vestir apenas uma cueca boxer cinza...".


E mais do que isso, começa a se instigar não só pra saber como é estar com ele, mas também, quais segredos esconde e o que o leva a ser assim.
Não contei o nome dele ainda, porque, devido a aparecer vestido apenas com uma cueca box da Calvin Klein quando foi se apresentar como vizinho de Raissa lhe apelidou de Calvin, e seu nome verdadeiro será apenas um dos segredos que ela terá de desvendar sobre ele.
Além disso, terá de chegar no fundo do coração de pedra dele, se quiser começar a entender o motivo dele ser e agir da maneira que age.

A respeito de Calvin confesso que de início me instigou muito, e por diversas vezes conseguiu tirar sorrisos de meus lábios até mesmo sem querer, com seu jeito sacana, mais no decorrer da história foi impressionante como a autora conseguiu despertar sentimentos opostos de uma hora pra outra em mim e em Raíssa também, como uma espécie de amor e ódio. 

Ah... outra coisa que esqueci de mencionar a respeito do Sr, Calvin Klein é que além de dotes sexuais, tem dotes culinários excepcionais, e consegue misturar as duas coisas de maneira divertida com suas frases de duplo sentido a todo o momento da história.

"... Ele fisgaria qualquer mulher pelo estômago, 
se não tivesse a capacidade de fisgá-las por outras partes do corpo...".

E mais do que isso, consegue ser super romântico. Exceto por ter uma coleção de mulheres em sua vida, uma em "especial" que terá de provar o contrário pra permanecer na vida de Calvin - Karen, ou Karen-Quenga como Raíssa a apelida.

Eles ficam num jogo de pega e não se apega, de fica e não fica, que confesso quase ter desistido do livro, por medo do que iria encontrar no final, mas a autora deu um final tão ESPETACULAR para a história, que até esqueci disso rsrs!

Ambos buscam a "liberdade" e mal sabem que o que realmente estão buscando não passa de um amor verdadeiro, só que para isso, terão que conhecer as qualidades e os defeitos mais ridículos um do outro, seja através das situações que a vida lhes impõe, das tantas frases da Sr. Lispector (Clarisse Lispector) ou até mesmo do rompimento de uma parede, que não é a criada pela vida no coração de Calvin.

"... passei a saber mais sobre mim desde que conheci meu vizinho safado... 

Ai quase esqueci de falar, Calvin tem um irmão chamado Carlos que virá abalar sua vida em momentos diferentes da história, tornando ainda mais complicado a convivência entre ele e Raíssa,

E pra quem pensa que essa é mais uma história clichê, está totalmente enganado, afinal, foi impressionante a maneira que a autora me cativou, com cenas tão distintas uma da outra, onde num mesmo momento "sorria e chorava", com as peraltices desse casal tão lindo e as pessoas que os cercam, se é que podemos lhes chamar de casal né rs. E pra finalizar deixo aqui a frase da "titia Clarisse" que reflete exatamente o que esperar desse livro "safadão" da autora Mila Wander e lhes informo que em momento algum (embora safado) o Sr. Calvin enganou Raíssa (digo isso porque sei que tem pessoas que não irão querer ler o livro se este se tratar de um cara safado e sem coração - embora por diversas vezes pareça, este não o é) - deem uma chance a ele.


























Beijokas e até o próximo livro ^.^.

[Estante Arco-Íris] - Janeiro Azul


Oi amorecos, hoje trago uma novidade - nossa nova coluna e desafio literário (Iupyyyy)!!!

Estante Arco-Íris






Consiste em postar uma foto no blog, instagram, canais, face... qualquer rede social  - com uma capa de livro com a cor do mês e marcar as hashtags #EstanteArcoIris e #FacesDeUmaCapa e ainda se quiser:

- falar um pouco sobre o livro;
- contar o motivo de ter escolhido o livro;
- contar alguma curiosidade da capa do livro.

No final do ano serão 12 cores e vários livros que estarão compondo nossa Estante Arco-Íris, selecionaremos os doze melhores e abriremos votação em nossa fanpage para selecionar os 3 melhores que ganharão brindes literários, quem sabe o seu não é escolhido?!



Não deixem de participar!!!

Janeiro AZUL


"O Mundo das Vozes Silenciadas - Carolina Munhoz e Sophia Abrahão"
(Por: Grazielli Moraes)


Eu escolhi "O mundo das vozes silenciadas" não só por se tratar de um dos meus gêneros prediletos de leitura (fantasia), e por eu já ter lido o primeiro livro da série (Resenha AQUI), mas também pelo fato de as autoras abordarem o conto de fadas de maneira tão contemporânea e diferente daquilo que estamos acostumados a ler, além do fato de incluírem temas a serem pensados como o preconceito, o bullying e a hipocrisia da sociedade em criar esteriótipos, além é claro de ser da Rocco, uma das editoras que mais amo s2.
Ainda não o li, mas já está na lista de leituras desse ano, mas parece ser ainda melhor do que o outro, embora já tenha visto algumas críticas do mesmo.
A capa, lombada e contra-capa estão perfeitas. No que se diz respeito à história ainda não sei dizer, afinal não li ainda, mas pelo pouco que andei lendo vi que Sophie terá de voltar ao Reino das Vozes que não se Calam, que agora está totalmente um caos devido à sua ausência.


Prometo que volto pra contar o que achei do livro!!!!



"A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff"
(Por: Lucas Luhran)


O livro azul com a capa mais linda da minha estante é A Playlist de Hayden da autora Michelle Falkoff
Publicado em 2015 pela editora Novo Conceito, o livro conta a história de Sam em busca de respostas após a morte de Hayden, que deixou apenas uma misteriosa playlist e um bilhete.
Ganhei esse livro de amigo secreto neste ano, e ainda não tive a oportunidade de lê-lo. Confesso que o motivo por ter colocado ele na lista de desejos foi realmente a capa. O azul que fica variando de mais claro para mais escuro me dá a sensação de estar em um escala de Dó a Si sucessivamente. A conexão dos fones, a fonte do título, a lombada, tudo ficou perfeito.
A playlist de Hayden sem duvidas é digno de estar na nossa Estante Arco-íris.




"A Mais Pura Verdade - Dan Gemenhart"
(Por: Lucas Ferrarezi)

O meu livro para o Janeiro Azul foi “A Mais Pura Verdade”. Confesso que quis comprar o livro assim que vi a capa (quem nunca sentiu isso), mas depois que li a sinopse e um pouco da história tive a certeza que adoraria esse livro.
Quando você olha pela primeira vez a capa desse livro, ela se parece bem simples, e de fato é, mas é essa sutileza de detalhes (ou falta deles) que faz a capa ser incrivelmente bonita e chamativa; leva também os detalhes da capa, para sua contra capa que segue os mesmo detalhes simples, que se assemelham com desenhos feitos a mão livre.
Conta a história de Mark, uma criança que seu maior sonho é escalar uma montanha. Porém ele está doente e antes que seja tarde, Mark decide se aventurar junto com seu cachorro chamado Beau, com sua maquina fotográfica, seu caderno e o seu plano ele foge de casa rumo ao Monte Rainier Nem. O que será que vai acontecer no caminho? Qual a doença que Mark enfrenta essas e outras questões só irá descobrir ao longo da história.
Ainda não li o livro, mas já estou na expectativa de ler o mais breve possível.


"Extraordinário - R.J. Palacio"
(Por: Camila Ferreira)

Para nosso Janeiro Azul trouxe um livro que amei (tanto pela capa quanto pela leitura) e entrou na minha lista de livros para compartilhar – aqueles que possuem como base a lição de moral e a fácil interpretação. Sempre que posso dou de presente ou indico esse padrão para alguém. =D
No dia do nosso “encontro” na Livraria estava à procura de um livro com poucas páginas, tipo de leitura que em minha opinião se adeque a um fim de semana chuvoso, onde queremos ler sem parar, ouvindo uma música de fundo e tomando um chocolate quente. Durante a busca, me deparei com aquele garoto de rosto desigual e olhos azuis, em conexão com um título de nome singular e específico (fazendo jus ao conteúdo do livro). Meu interesse despertou instantaneamente...
Azul é uma cor que personifica tranquilidade, harmonia, serenidade... Sempre me identifiquei com ela (mesmo vivendo sob o estereótipo de que é uma cor para meninos – aff ¬¬’), portanto, sou um pouco suspeita para falar da escolha baseada na cor. Mas, não foi apenas a cor que me chamou a atenção, como disse anteriormente, o garotinho que foge dos padrões ridículos impostos por uma sociedade hipócrita e uma mídia opressora, me despertou. Sempre gostei de coisas “diferentes” que fogem de qualquer padrão (não é a toa que escolhi ciência da computação como curso e estudei em uma sala com 95% dos alunos de sexo masculino, vai ter menina na sala sim, e se reclamar vai ter mais), estereótipos, rótulos, padrões, são palavras que passei a repugnar, costumo dizer que perfeição é um tédio. Não entendo bolhufas de publicidade e propaganda, mas visualmente falando, o título contornando os olhos do Auggie (chega de falar garotinho, ele tem nome!) foi uma bela jogada! Você obrigatoriamente associa o rosto ao título e entende que ele realmente deve ser extraordinário (excepcional, único, incrível...), enfim, cada detalhe contribuiu para que a capa me puxasse para a compra do livro.
Seguido da Capa, a Contracapa também me prendeu. Além de enfatizar o que eu já esperava, me fez ter a certeza de que aquele seria o livro escolhido. A frase: “Não julgue um livro menino pela capa cara”, foi a cartada final (apesar de eu estar fazendo justamente isso, julgando o livro pela capa, mas de uma forma positiva, assim espero. Hehe).
Vale muitooo a pena ler!!! Não aceito nenhum tipo de crítica negativa com relação a este livro. Hehe Brincadeira pessoal, mas leiam! Mesmo. De coração.
Ninguém precisa ser perfeito, digo e repito: a perfeição é um tédio! Deixe de seguir algo apenas por pertencer à maioria, seja autêntico em suas escolhas, mesmo que ninguém mais pense da mesma forma. Não julgue para não ser julgado. Retire os rótulos, retire as máscaras, a beleza vem de dentro! Parafraseando Raul Seixas, a vida é muito curta para termos aquela mesma opinião formada sobre tudo!!! Dê uma chance ao diferente e logo você verá que a diferença é a maior dádiva do ser humano, e que é nessa diferença que nos tornamos pessoas extraordinárias.


"Fazendo Meu Filme: O roteiro inesperado de Fani - Paula Pimenta"
(Por: Claudia Ferreira)

Pela primeira vez falo sobre um livro que fez grande atribuição na minha adolescência (por fazer parte de uma sequência de quatro livros) e que eu amo de paixão até hoje e com certeza lerei novamente! 
Uma das Minhas autoras preferidas e de grande inspiração pra mim. Este (Fazendo Meu Filme: O roteiro inesperado de Fani) conta a história de Fani, uma adolescente de 18 anos que acaba de voltar do seu intercâmbio na Inglaterra - também conhecida como Terra da Rainha - com muitos anseios,, alguns temores e onze quilos a mais. Terminou seu relacionamento de meses para quem sabe, finalmente viver sua verdadeira história de amor, com o seu melhor amigo, Léo.
Apaixonada por filmes e cheia de sonhos, volta a ser uma garota como muitas outras, e é exatamente isso: a personalidade, os gostos, as dúvidas, certezas e até mesmo easter eggs que são mostrados de um jeito chamativo nas capas dos livros.
Claquetes, livros para o vestibular, revistas, CD´s, fotografias, flores, uma câmera, um violão e depoimentos, de leitores, de ambos os sexos e de todas as idades, para falar como foram suas experiências com a leitura, que mexe com o emocional de todos que acompanharam o roteiro inesperado de Fani...
Recomendo o livro pela capa (azul é claro, pra compor nossa Estante Arco-Íris), pela autora, por serem quatro livros pra você aproveitar, e não se sentir tão sozinho quando o livro acabar, mas principalmente por ser uma história gostosa de ler, com trechos de filmes incríveis em cada capítulo, e-mail´s e cartas trocadas pelos personagens e tudo o mais que a narrativa pode nos proporcionar!

[Sorteio] - Metas de Leitura 2016




Amorecos, todo ano começo pensando qual minha meta de leitura, e sendo bem sincera, não consigo chegar a uma conclusão, por que tem algo nos livros que me fazem ser escolhidas por eles, e vida de blogueira é assim, ás vezes escolhemos os livros e temos de adiar alguns deles pelo fato de colocarmos na frente os de parceiros - o que pra mim não é nenhum problema, afinal, já encontrei muita coisa boa em livros de parceiros, tão boas que alguns até entraram pra minha lista de preferidos!!! Então a melhor definição para minha meta desse ano é não ter meta rsrsr, vou deixar os livros me escolherem. A única coisa que pretendo é ler alguns que estão a algum tempo em minha estante, alguns que ganhei, alguns de parceiros, outros que comprei, enfim, olha ai em baixo:





























Bom agora que conheceram minhas metas de leitura, queremos conhecer a de vocês!!!




Para isso o Blog Reino Literário BR criou a TAG #MetasdeDoReino2016 e quem participar irá concorrer ao box Wayne de Gothan e Os Últimos dias de Kripton (1º ganhador) e Marcadores Artenais Tordos (2º Ganhador).

Regras:



3. Compartilhar ESTA imagem oficial em modo público no Facebook;

4. Marcar 3 amigos nos comentários;
5. Colar nos comentários do blog o link do compartilhamento.

6. Postar via Facebook uma foto com no mínimo 10 livros como meta para 2016 usando a hashtag #MetasDoReino2016

7. Ponto extra se postar via instagram (não obrigatório).


Resultado sai em 15 de Fevereiro de 2016.
Boa Sorte Amorecos!!!!

[Por trás da Poltrona] - O Doador de Memórias



Olá galera do Faces de uma Capa, tudo bem com vocês? Como foi o Natal? Ganharam muitos livros? Espero que sim... Viram que o blog está com novos integrantes? Um novo layout? Esse 2016 vai ser repleto de surpresas pra vocês! ;) Eu estava meio de “férias” do blog, mas agora estou de volta com uma resenha fresquinha pra vocês \o/


O filme dessa semana eu assisti no Netflix, era um filme que eu vinha há um bom tempo querendo ver e nunca “conseguia”, mas tomei coragem e assisti. Não que o filme seja ruim, é que eu sou fanático por séries, e acabo deixando os filmes meio de lado, geralmente assisto no cinema e é bem difícil eu assistir filmes pelos sites, bom esse foi uma dessas exceções. Bom, vamos ao filme...




Já imaginou viver em uma sociedade perfeita? Sem guerras, desigualdade, doenças e que todos tem seu lugar na sociedade? Eu imagino que nunca, mas nada é perfeito, apesar de não parecer, isso tem seu lado ruim, os cidadãos dessa “sociedade perfeita” são desprovidos de qualquer sentimento, emoção e de qualquer memória do passado.







Jonas é um adolescente membro dessa sociedade, mas tem algo diferente nele, apenas ele tem sensações, pensamentos diferentes dos outros, coisas que ele não sabe explicar. Prestes a realizar uma cerimônia que definirá o futuro dele, onde ele será atribuído ao um trabalho em que ele irá realizar para o resto de sua vida. Jonas está assustado com a possibilidade de ele ficar “preso” numa atribuição que ele não goste pelo resto de sua vida, mas ele é atribuído com a função mais importante de todas, a de “Receptor”, da qual ele ira receber diversas memórias do passado, descobrindo como as coisas eram antes do surgimento de sua sociedade.




Jonas se vê no papel mais importante de todos, pois sua atribuição tem a maior importância e comprometimento, pois detém o conhecimento e sabedoria jamais imagináveis. Para isso seu instrutor o “Doador” tem a função de mostrar absolutamente tudo a ele, sentimentos, emoções, sensações... coisas que ele nunca sentiu antes. 





Mas ele também vai receber sentimentos, emoções e sensações ruins. Ele começa a perceber que sua sociedade e o mundo que ele vive não passa de mentiras e ilusões que foram impostas a eles, e somente ele e o “Doador” sabe a verdade, agora cabe a ele decidir, revelar a verdade por trás de tudo ou viver o resto da vida sabendo que está vivendo uma grande mentira...



A minha opinião sobre usarem o começo do filme em preto e branco foi incrível, demonstrando à falta de emoções dos personagens e ao longo da história as cores irem surgindo foi muito representativo sobre o desenvolvimento do personagem e  para o entendimento do publico.


Ouvi muita gente dizendo que esse filme se parece muito com Jogos Vorazes e Divergente, mas como esse filme foi baseado no livro, que tem o mesmo nome e foi lançado antes dos livros de Suzanne e da Veronica, acredito que não teria como o escritor ou o diretor terem “copiado” as referencias dos livrou ou filmes, para mim os livros são universos distópicos diferentes, com mensagens diferentes basta você assistir com a mente aberta e sem esse prejulgamento que muitas pessoas adotam antes mesmo de conhecer, assistir ou ler.




Espero que tenham gostado da minha primeira resenha desse ano, logo mais tem outra resenha minha no blog... Se gostou comenta aqui e compartilha no Facebook. 
Até a próxima... 

Harry Potter 1, 2 e 3 - J. K. Rowling



Sempre fui um eterno fã dos filmes de Harry Potter, e isso acabou por me trazer um pouco de medo de ler os livros e acabar tendo receio dos filmes no final da leitura. Não queria que a magia toda que eu sentia ao ver Daniel Radcliffe em ação simplesmente sumisse por desapontamento.
Após muitos anos de maratonas dos filmes, aos meus dezoito anos de idade, decidi me entregar as páginas escritas por J.K. Rowling e conhecer cada detalhe magnifico que foi introduzido na obra.
J.K. Rowling simplesmente quebra os tabus que dizem que “literatura boa” é aquela que introduz palavras de difícil compreensão e que exige do leitor um maior conhecimento da língua. A leitura é extremamente relaxante e fácil de ser compreendida. A conexão de J.K. com as personagens é nítida na narração. O uso de apelidos ao se referir a determinado personagem (como Mione) deixa o leitor maravilhado e mais conectado com Hogwarts do que nunca.

Em a Pedra Filosofal conhecemos um menino adotado por tios, que dorme debaixo da escada e tem sérios conflitos com seu primo Duda. Até certo ponto tudo se encaixa na nossa realidade com facilidade, mas Rowling introduz o mundo da magia aos poucos e quando percebemos estamos totalmente dominados e apaixonados por um universo que de certa forma é a solução de tudo.

Não vou resenhar cada livro da saga. Acho que o mundo de Harry Potter está aberto há muito tempo (e que continue assim) e com certeza cada pessoa que está nesse universo literário já ouviu falar ou leu HP. Esse pequeno texto apenas expressa a opinião de um apaixonado pelos filmes em relação aos três primeiros livros que até agora pude ler.

 “Porque é isso que Mione faz. Quando tiver uma dúvida, vá à biblioteca”

Conhecer Hogwarts junto com Potter trouxe a tona um sentimento de aprendizagem, mesmo que já tinha visto tudo aquilo, era como se tudo fosse novo. Cada senha da Torre de Grifinória, cada aula, cada partida de quadribol, cada feitiço, tudo me fez sentir realizado e empolgado.



O resultado da taça das casas em a Pedra Filosofal foi a parte que mais me emocionou. 
Dumbledore pra mim é o segundo melhor personagem que Rowling criou. Sua maestria, seu jeito de ver as coisas, sua sabedoria, sua justiça e suas palavras criam uma ligação muito forte com o leitor. E isso faz com que uma confiança enorme transborde na história. E nada mais justo que Dumbledore ser acompanhado de Fawkes (a fênix), que mesmo dentre das cinzas ressurge sua força.



A CÂMARA SECRETA FOI ABERTA,
INIMIGOS DO HERDEIRO, CUIDADO.


“Hermione Granger e a câmara secreta”. 

Definitivamente Hermione fez tudo no segundo livro da saga. Poção polissuco, murta que geme, abertura da câmara, identidade do monstro (basilisco), entre outras coisas. Mas não por ser minha personagem favorita, mas por representar a inteligência em pessoa. Mesmo que muitos não a suportam por sua obsessão com estudos e regras, ainda a acho a estrela de Hogwarts (principalmente depois do vira-tempo).

“Dobby está acostumado com ameaças de morte, meu senhor. Em casa, Dobby as recebe cinco vezes por dia”.

“Harry Potter sobreviveu, e o poder do Lorde das Trevas foi subjugado, e raiou uma nova alvorada, meu senhor, e Harry Potter brilhou como um farol de esperança para todos nós que achávamos que os dias de trevas nunca terminariam”


Não me contive de emoção ao me deparar com Dobby em pensamentos. O elfo doméstico de Lúcio transpassa seu sofrimento e faz do leitor vitima de sua escravidão aceita. E realmente existem pessoas nesse mundo real, que aceitam sua escravidão e acham que está tudo certo. Mas não está. E Harry demonstra tal sentimento quando prega sua liberdade e busca a liberdade de Dobby.

Além de Dobby, em a câmara secreta surgem dois personagens que me chamaram a atenção. Primeiro Colin Creevey, um fotógrafo obcecado e fã de Harry. Eu de certa forma entendo Collin e me identifico com ele. A busca pela atenção do seu ídolo é normal (Se por um acaso eu estudasse com Emma Watson o mínimo que faria era tirar dezenas de fotos).

O segundo é nada menos que o personagem mais insuportável (espero menos que Dolores não seja pior) e intolerante de todos os tempos: Gilderoy Lockhart. Recuso-me a escrever mais linhas sobre esse homem que só me fez ter nojo das aulas de Defesa contra as artes das trevas. Sua fama realmente me angustiou e sem duvidas sua participação foi a pior parte de A Câmara Secreta.



Os dons que Harry descobre ao decorrer dos livros são impressionantes e ser ofidioglota (falar e entender a linguagem das cobras) foi uma cartada fantástica de Rowling (não sei como ela consegue ser tão incrível). O Diário de Tom Servoleo Riddle não fica para trás no quesito “coisas fantásticas”. Quem mais te daria respostas tão completas em forma de escrita além de Riddle? J.K. Rowling claro!

Queria muito ter lido mais sobre Godrico Gryffindor, Helga Hufflepuff, Rowena Ravenclaw e Salazar Slytherin.  São personagens de suma importância e acho essencial saber um pouco mais de suas histórias. Eu pelo menos ainda estou com água na boca.

O Terceiro livro da saga me faz amar mais ainda Hermione. Quem em plena consciência usaria um vira-tempo para estudar todas as matérias?
O Prisioneiro de Azkaban me fazia almejar cada vez mais o seu final. Não conseguia me conter ao ler sobre Sirius Black e descobrir partes do passado de Severo Snape.

Nesse mundo de bruxos, declaro que meus professores favoritos são Remo Lupin e Sibila Trelawney. Minha casa é Grifinória (finalmente decidi entre Gryffindor e Slytherin) e desejaria que meu patrono fosse um Lobo.

Estou realmente encantado com os livros e não vejo a hora de começar O cálice de fogo, que, aliás, é meu filme favorito da franquia. Para quem só viu os filmes, deixo claro que os livros também são extraordinários e que a falta de detalhes não deixa o filme pior. Termino esse breve texto aplaudindo J.K. Rowling, assim como Dumbledore.




J.K. nos deu uma meia de presente e até hoje estamos libertos.

Morte na Flip - Paulo Levy


Oie amores, mais uma vez trago pra vocês uma história com o Delegado Joaquim Dornelas, que confesso que tomou parte de meu coração literário dessa vez, afinal a história me prendeu do início ao fim, diferente do outro livro do autor Paulo Levy (Réquiem para um assassino) já resenhado aqui no Faces. 
Mesmo se tratando de um livro com o mesmo personagem, pode ser lido separadamente, afinal, uma história não está atrelada a outra.



Dornelas, se vê diante a um crime internacional dessa vez, em que durante o evento mais que tradicional da cidade (Festa Literária de Palmyra - FLIP) terá de investigar o assassinato da ilustre autora convidada Georgia Summer. O que complica ainda mais Dornelas que terá de  correr com as investigações, já que além dos responsáveis pela feira, a imprensa toda está lhe cobrando uma resposta e Palmyra pode virar um caos a qualquer momento.



"... Delegado, uma das autoras convidadas não voltou ao hotel na noite passada... Georgia é uma das convidadas ilustres dessa edição da FLIP, Ela fará um debate sobre romances femininos ... não sabemos o que dizer a imprensa...".

O que Dornelas não imaginava é que sua investigação iria ser muito mais complicada das que estava acostumado, afinal, além de envolver assuntos que ele estava acostumado, não só a autora usava pseudônimo, mas os envolvidos com o crime também se escondiam nos personagens menos improváveis, escondendo detalhes importantes para a investigação do tal assassinato. Diante a uma sequência de fatos e situações que pretendem confundir Dornelas e a polícia nas investigações, ele se mostra mais do que competente e um profissional e tanto, juntamente com uma equipe de investigadores, papiloscopistas, policiais e tantos outros. 
Dornelas vai aos poucos juntamente com tantos outros profissionais, juntando as pecinhas pra tentar descobrir o motivo do assassinato, como se fosse um emaranhado sem começo nem fim que ele descobre brilhantemente.
Em contrapartida ao crime, ele se vê diante a situações inesperadas, afinal, além de sua ex-mulher (que levou seus filhos junto de si quando abandonou Dornelas por não aceitar a profissão do mesmo) querer reatar o casamento, ele se descobre apaixonado por Dulce, que além de amiga de profissão é sua "namorada", e seu filho está entrando na adolescência, tendo atitudes de jovem às quais sua mãe não sabe lidar e o cobra por seu papel de pai - que devido à profissão tem de ser feito por telefone.

Morte na Flip é um livro empolgante, de leitura fluída e faz com que o leitor acompanhe através das investigações o caso em questão e queira ler sem parar pra ver até onde vai a capacidade profissional de Dornelas. Além disso, o autor tem uma escrita maravilhosa, sem rodeios ele consegue prender o leitor em cada linha escrita, seja por sua facilidade em descrever os fatos, ou pela maneira que construiu o personagem, ou ainda quem sabe, pela maneira direta de escrever sem pestanejar ou ficar rodeando muito.
Trata-se de uma ficção policial muito bem escrita. Que a meu ver chega aos pés de grandes escritores dessa temática, embora eu tenha lido pouquíssimas coisas desse gênero. 
O que não poderia deixar de comentar é o fato de o autor, colocar coisas do cotidiano pelo menos a nível Brasil que impedem uma investigação rápida. E o melhor disso é que ele faz de forma muito bem humorada uma ceerta crítica aos órgãos competentes.

Beijos e até breve minhas lindezas!!!

As Amazonas das Montanhas: o segredo das guerreiras - Marih Macar


Oi amorecas, e hoje trouxe a resenha do livro II das Amazonas das Montanhas, da autora Marih Macar que não diferente do primeiro é sensacional e encantador em todos seus capítulos e páginas.

"... Nessa sociedade das amazonas não tem espaço para homens, motivo esse o qual às faz relacionar-se entre elas, e mesmo diante à guerras e tantas diversidades, mostrar o amor..." (Resenha Livro I - Clique AQUI)



Diouxie (a mais bela das amazonas) passa por muitas mudanças, juntamente com todas as outras amazonas do reino, afinal a rainha emérita Karina tem revelações que podem mudar totalmente o curso da história da sociedade das Amazonas e antes de partir desta, Karina deixa em segredo tal revelação para Diouxie e Kíria, já que ambas tem algo em comum, como uma ligação inexplicável.

Paralelamente a isso um acidente de carro acontece próximo ao vilarejo das Amazonas, fazendo com que Sofia e Lara cheguem às amazonas, totalmente perdidas, tristes por terem perdido seus namorados e muito curiosas a respeito do lugar onde estavam. Num primeiro momento Lara, mostrou-se contra o comportamento das amazonas, em relação à viverem só com mulheres e relacionar-se umas com as outras, já Sofia teve uma adaptação melhor, chegando a se apaixonar por Diouxie, e a todo instante tenta frustar os planos de Yanka, jovem amazona que descobre-se perdidamente apaixonada por Diouxie.

A partir de então surge além de um triângulo amoroso, novas batalhas, mortes inesperadas (aiii choreiii nessa parte), contratempos e perigos, que parecem colocar toda a sociedade das amazonas em perigo, pelo simples fato de o segredo da rainha estar relacionado com Lara, que além de filha de um deputado traficante, não cogitava a ideia de permanecer na "aldeia", pensando até em ir contar para o mundo que existiam as amazonas, até que surge então uma amazona que mudará totalmente sua maneira de enxergar o mundo e a vida, e quem sabe mudar ainda mais o rumo da história das amazonas.

"...Achava-se inexperiente e queria que ela lhe apresentasse esse mundo desconhecido...".

Devo admitir que ameiiiii o livro, e que espero ansiosamente que tenha outro volume, porque quero ver a história e Tiamat, a amazona que veio em forma de segredo para mudar a história da civilização das Amazonas.

Quanto a capa nem preciso falar né, que impecável. Mas confesso que preferi a primeira ^.^.



Guia politicamente incorreto da história do Brasil - Leandro Narloch



"É hora de jogar tomates na historiografia politicamente correta.
Este guia reúne histórias que vão diretamente contra ela.
Só erros das vítimas e dos heróis da bondade, só virtudes dos considerados vilões."


E se grande parte do que você aprendeu na escola não fosse exatamente como contaram? E se os Portugueses não fossem tão vilões assim? E se alguns dos negros refugiados da escravidão tivessem escravos? E se os autores de maior influência na literatura brasileira não fossem tão influentes como parecem?

Esses são alguns dos diversos questionamentos que você encontra no livro de Leandro Narloch, onde ele consegue transformar um assunto polêmico em uma série de “Por que´s?”.


Leandro Narloch é Curitibano, ex-jornalista da revista Veja e editor das revistas “Aventuras da história” e “Superinteressante”, seu livro é considerado um best-seller e se mantém em primeiro lugar, na categoria "não-ficção", das listas dos mais vendidos da Publishnews e da revista Veja.
Sempre gostei de história, mas achava algumas explicações limitadas, e quando criança não tinha o costume de pesquisar sobre determinado assunto fora do ambiente escolar, por isso quando me deparei com este livro, vi uma oportunidade de entender de verdade como tudo aconteceu. A narrativa é de fácil compreensão e em cada conclusão possui uma referência à obra da qual o trecho foi retirado, o autor contesta ao longo do livro fatos históricos e mostra que devemos interpretar determinados assuntos com diferentes olhos.

 Vale a pena conferir, se não para saber de fato a verdade, então para conhecer esse outro lado da história do Brasil. É importante lembrar que existem elogios e críticas sobre o livro, mas que antes de levar em consideração qualquer uma delas, é importante que cada um leia e tire suas próprias conclusões, tanto em debates como em pesquisas sobre os assuntos tratados, fazendo nosso papel crítico embasado no que de fato lemos e não apenas no que lemos sobre.

Espero que tenham gostado, e caso estejam lendo e queiram falar sobre o livro para trocarmos opiniões, fiquem à vontade. =D

Entrevista - Jully Vituri - 24 anos - (Youtuber Nova Parceria)



Oi amorecos, não tenho o hábito de fazer dois posts por dia, mas não podia deixar de contar pra vocês sobre a nova parceria, que a meu ver tem muito a agregar ao Faces de Uma Capa, afinal, além de amante de livros, filmes e séries, é a primeira youtuber que eu acompanho, sob indicação do Lucas Ferrarezi, colaborador do blog.


Jully Vituri
E pra começar em grande estilo, nada melhor do que uma entrevista pra saber um pouquinho mais dela, não acham?!

Julianne Vituri, 24 anos, ou Jully como é conhecida na rede, iniciou um canal no Youtube e ao tentar modificar o nome do canal e não conseguir, resolveu que seria melhor começar um novo, já que havia parado por um tempo, então, criou um canal totalmente repaginado (Canal da Jully), com a promessa de que não desistirá nunca.

"... Nesse eu posso sumir de vez em quando mas não desistirei nunca...".


Pra que entendam melhor, a Jully, em seu canal fala de tudo um pouco: Dicas de profissão, trabalho, games, livros, séries, moda, cabelo e diversas outras coisas, ou como ela mesmo diz, ".... tudo que der vontade de falar...".
Para Jully o melhor de ser Youtuber é poder ajudar as pessoas de alguma maneira, e receber retorno por isso, seja através de comentários, likes ou compartilhamentos Em contrapartida, os pontos negativos, são: não ter equipamentos adequados para a gravação (#vamosajudarajully).

"Desde 2004 eu tive vários blogs e sempre desistia deles, deletando-os. Alguns até chegaram a ser famosos mas mesmo assim eu deletei e me afastei muito desse mundo, o que me prejudicou bastante. Mas eu sempre quis mesmo era gravar vídeos desde antes de existir vlog no Brasil, vacilei e não gravei. Depois que isso veio para o Brasil com tudo e a cada dia eu conhecia um YouTuber novo, eu resolvi começar e logo depois parei (mais um vacilo), um dos vídeos passou dos 5 mil views e eu tinha abandonado. Um ano depois resolvi voltar com um canal novo. Atualmente faço vídeos no Canal da Jully, sou colunista do blog Dica de Amigue que dá dicas de lugares pra se visitar em São Paulo. E vou começar um blog sobre minha vida de praticamente casada.".

Vou deixar aqui um dos vídeos que gostei muito - e que nosso colaborador Lucas Ferrarezi participa pra vocês conhecerem um pouquinho e inscrever-se no canal:



Claro, que não poderíamos deixar a vida literária da Jully de lado, afinal, o blog é sobre livros, então vamos lá.
Jully, além de youtuber, é amante de livros e da leitura (por isso resolvi chamá-la para parceria no blog), e como todo bom leitor, gosta de ler por conta de poder sentir a história, imaginar os personagens e viajar através da leitura. Seu primeiro livro foi um box da Disney - não se lembra se foi Rapunzel ou Branca de Neve, mas lembra que foi esses livros que a fizeram aprender a ler.

"Depois, quando eu cresci, eu passei a ler Machado de Assis e livros mais clássicos, não sei o que me levou a escolher tal coisa, talvez tenha sido o fato de encontrá-los com mais facilidade em bibliotecas e sebos.".

No entanto, seu livro preferido é o campeão "O Pequeno Príncipe - A. de Saint- Exupery", seja por sua história encantadora ou mesmo o grande aprendizado que traz.




















Sua atual leitura é o livro "Em chamas - Suzanne Collins".


"Confesso que foi um livro que eu enrolei bastante pra ler porque eu assisti os filmes antes e tenho um sério problema com isso, pois assistir o filme antes de ler o livro quebra todo aquele encanto de imaginar as coisas ao ler. Mas estou adorando, claro.".


E não diferente de muitas de nós, escolheu a Hermione como uma personagem que gostaria de ser se pudesse escolher,

"É super inteligente, amiga, e fica mais linda conforme vai amadurencendo. E quem não gostaria de viver no mundo de Harry Potter? (risos)".




"Não existe isso de "não gosto de ler", você só não encontrou um assunto do qual gosta ainda. Tem gente que consegue ler sobre tudo, tem gente que só gosta de distopias, tem gente que só gosta de romance ou terror... Insista, um dia você encontra o tipo certo pra você e vai conhecer essa coisa maravilhosa de mergulhar na literatura... A leitura ajuda muito na escrita, linguagem, memória e imaginação.".