[Por Trás Da Poltrona] - A 5ª Onda


 Olá seguidores do Faces De Uma Capa! Eu sou Cláudia Ferreira e hoje eu vou falar um pouco sobre o filme distópico “A 5ª Onda”. Baseado no livro homônimo de Rick Yancey, dirigido por J. Blakeson e estreado nos cinemas de todo Brasil em janeiro de 2016.

 Como “Jogos Vorazes”, “Divergente” e “Maze Runner”, “A 5ª Onda” é um filme que contém muita ação e mistérios, protagonizado por um(a) adolescente forte que busca acima de tudo se manter vivo, salvar as pessoas que ama e libertar o planeta. Nesse caso a heroína da vez é nada mais que Chloë Grace Moretz (Se Eu Ficar, Kick-Ass). 

 Nesse novo filme, Cassie Sulivan (Grace Moretz) leva uma vida normal. Está prestes a terminar o ensino médio, mora com os pais e o irmão, é apaixonada por Ben (Nick Robinson), um garoto popular na escola e tem uma amiga engraçada e presente. Tudo isso muda quando uma nave alienígena pousa na Terra e decide ataca-la em quatro partes, denominadas ondas.



         A primeira onda é a escuridão. “Os Outros” cortam a energia, lançando o mundo no caos. A segunda é a destruição. Onde eles tomam a cidade, aniquilando tudo, com desastres naturais. A terceira é a contaminação. Tiram vidas com um vírus de contágio aéreo. A quarta onda é a invasão. “Os Outros” assumem o controle, exterminando os poucos sobreviventes. E agora, a quinta onda entra em ação. Eles são capazes de habitar um hospedeiro humano e controlar seus atos.

         Depois que Tom, irmão mais novo de Cassie, é levado sozinho para um abrigo militar, ela passa a correr contra o tempo para encontra-lo.

       
 Se escondendo dos alienígenas e com a ajuda de Evan Walker (Alex Roe). Um garoto misterioso que a encontra e promete ajudá-la a salvar o irmão.

     
 “A 5ª Onda” é uma história boa para se contar, mas no filme ela não é muito bem desenvolvida depois dos primeiros cinquenta minutos. A explicação de como os alienígenas invadiram a Terra, a gravidade das ondas e o que elas provocam nas pessoas é muito bem abordada no filme, mas algumas partes de ação e o nível de dificuldade em determinados pontos específicos, é fraco. O final também não é um dos mais surpreendentes. Senti falta de uma frase de efeito, ou de uma cena que me fizesse ansiar pelo segundo filme. Infelizmente isso não aconteceu. Mas, no geral, eu gostei sim. 


 Como muitos sabem, distopia, ficção científica, são os meus gêneros preferidos de filmes e livros. Os atores também são muito bons, apesar de novos. E só de saber que terá uma continuação, eu já fico muito feliz, porque eu ainda não li o livro, mas quem leu, disse que tem muita coisa para acontecer ainda!


Por isso se você já leu o livro me conta aqui nos comentários o que achou. E se assistiu ao filme também. Espero que tenha gostado da resenha. Até a próxima. Beijos de luz.

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu comentário