[Estranho Mundo das Séries] - The 100 (2ª Temporada) - Por: Cláudia Ferreira

Olá seguidores do Faces de Uma Capa! Eu sou Cláudia Ferreira e hoje, como o prometido, eu vou falar um pouco sobre a segunda temporada de “The 100”, por isso se você ainda não assistiu a primeira temporada, ou não leu minha resenha de algumas semanas atrás (leia aqui), pare imediatamente de ler essa resenha, pois ela contém SPOILERS!
A primeira temporada termina com a explosão que os Terrestres causam na nave que os cem (que não são mais cem assim) vivem na Terra, provocando muitas mortes de ambos os lados e dividindo os cem em dois grupos de sobreviventes: os que ficaram na nave, ou o que restou dela, e os que foram levados pelo povo de Mouth Weather, incluindo a Clarke. Povo esse que sobreviveu ao apocalipse nuclear de 97 anos atrás, mas que não podem sair da sua própria nave, por conta da radiação que tomou conta de toda a floresta.


Clarke acorda, já no primeiro episódio da segunda temporada, em uma sala toda branca. Limpa e trocada, de início ela não sabe onde está ou o que está acontecendo, e ao descobrir que seu amigo Monty foi levado da sala ao lado, ela fica transtornada e acaba fugindo e levando uma das moradoras do Mouth como refém até o refeitório da nave, lugar em que ela vê, não só o Monty, mas grande parte de seus amigos, rindo e comendo.



Depois que tudo é esclarecido, Clarke conhece o presidente do povo de Mouth Weather, Dante Wallece (Raymond J. Barry), que explica a ela que os seus guardas salvou seus amigos e os trouxe para um lugar seguro. Clarke desconfia de toda essa bondade, e ainda quer voltar para a floresta e ir à busca de seus outros amigos: Bellamy e Finn.
Enquanto isso, o povo da Arca finalmente consegue pousar na Terra e ajudar os jovens feridos da explosão, como Raven e Murphy. Finn e Bellamy partem em busca de Clarke e Clarke passa a ter certeza de que o povo do Mouth Weather não é aquilo que diz ser.
Após descobrir que eles precisam dos Terrestres para se curar, ou até mesmo sobreviver, Clarke foge e promete voltar para salvar Jasper, Monty e seus amigos. Depois de enfrentar muitos perigos, Clarke encontra o povo da Arca e os convence a se aliar aos Terrestres para salvar o seu povo de todo o perigo que o Mouth Weather possui, mas será que essa aliança será duradoura, ou até mesmo de confiança? Com uma condição...

Hoje, com toda certeza, eu posso dizer que “The 100” é a minha série preferida. Pra começar, o gênero distópico chama minha atenção de um modo que às vezes eu paro para pensar se eu seria capaz de fazer tal coisa para lutar pela minha sobrevivência. Os figurinos, as falas, a evolução dos personagens, as surpresas e os acontecimentos marcantes, que fazem você ficar refletindo sobre o assunto durante horas. É tudo tão real e muito bem desenvolvido. Uma verdadeira relação de amor e ódio com os personagens e os episódios, que você não vê a hora de acabar para ver o que vai acontecer, mas ao mesmo tempo não quer que acabe, porque vai sentir falta de toda aquela história e de todos aqueles personagens.
Suspense, drama, romance, ação; casais fofos (Jasper e Maya), fortes (Octavia e Lincoln) inesperados (Clarke e Lexa) e que você torce pra ficar junto (Clarke e Bellamy)! E aquela jogada rumo à terceira temporada, que deu certo, como a busca pela “Cidade da Luz”.

Enfim, uma série que vale a pena ser assistida e compartilhada, por isso se você assistiu e gostou da primeira temporada, parta já para a segunda, que é ainda melhor! Espero que tenha gostado da resenha e que venha a terceira temporada! Beijos de luz. Cláudia F.

3 comentários :

  1. Uau...
    Parabéns, sua resenha ficou ótima. Adorei! Deu vontade de assistir de novo...
    Estamos aguardando ansiosamente pela terceira temporada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! E estamos aguardando ansiosamente mesmo! Que venha 2016 haha =D

      Excluir
    2. Realmente os colaboradores do blog fazem resenhas instigantes e muito boas... amo vocês!!!

      Excluir

Deixe seu comentário