A mocinha do mercado central - Stella Maris Rezende

Ganhei três livros da Stella Maris Rezende a algum tempo e demorei pra ser escolhida por eles para lê-los, mais agora enfim resolvi ler e contar um pouquinho pra vocês.



Começo por "A mocinha do mercado Central":

Um livro pequenino, meio despretensioso, mais super gracioso e cheio de mensagens que nos fazem refletir a cerca de várias questões presentes na sociedade e em nós mesmos.



A personagem principal Maria Campos ... Selminha... Gilda... ou Fulana de tal..., nasceu de uma maneira nada convencional, afinal após sua mãe ter sido violentada sexualmente por um cara pra lá de diferente, já que pediu até perdão por tê-lo feito, resolve sair de sua pacata cidade e viajar pelo Brasil a fim de conhecer lugares diferentes, e as várias faces de sua própria personalidade, cada uma delas com um nome diferente, e a cada nome um significado, e a cada significado uma descoberta.

“... era ser todas as moças que ela pudesse ser, a partir dos nomes que ela mesma escolhesse para si, no intento de ser mais senhora de si...”

A princípio peguei o livro e folheei e não me instigou a ler, mas, quando vi a apresentação feita por Selton Melo fiquei um pouco curiosa (melhor ainda quando descobri que ele seria um dos personagens “que diga-se de passagem é um dos amores de Maria Campos” – o autor, virando personagem):



“... as aventuras da menina protagonista deste livro encheram meus olhos e minha imaginação... Aproveite bem o que tem nas mãos...” (Selton Melo)




Algo que abrilhantou ainda mais a obra é o fato dela encontrar com Selton, tornando a história ainda mais real.
Além das delícias já mencionadas, a viagem de Maria Campos vai por vários lugares, cada um deles com sua peculiaridade. Sem contar ainda o fato de mencionar autores brasileiros super renomados, e um dos poemas que mais amo, do Sr. Fernando Pessoa (chamo-o assim porque fui ensinada a ter respeito aos mais velhos, e vamos e convenhamos, suas palavras o tornam respeitoso), deixo aqui um trecho do poema dele como um gostinho pra que vocês possam ler os poemas dele e esse brilhante e maravilhoso livro:

E o mais interessante é que, além de o poema dizer muito a respeito da obra, descobre-se que Fernando Pessoa tem muito de Maria Campos, ou, Maria Campos tem muito de Fernando Pessoa.

“... descobriu que Fernando Pessoa virara Alberto Caiero. E virava Álvaro de Campos. E virava Ricardo Reis...”

Beijos e até a próxima!!! Que será "A sobrinha do Poeta"!!!

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu comentário