Jogos Vorazes - Suzanne Collins - Por: Lucas Ferrarezi


Suzane Collins escritora da saga de livros Gregor, mais conhecida pelo seu extraordinário sucesso com a trilogia Jogos Vorazes, uma crítica a nossa sociedade inspirada nas histórias de guerra contadas pelo seu pai, em que ele relatava a miséria, a fome e mortes. Um dia, enquanto trocava os canais de televisão, num deles exibia-se um reality show e no canal seguinte, cenas de guerra e censuras, surgindo, então, a ideia de escrever um livro. A autora nem imaginava o tamanho do sucesso que ele faria.




Em um futuro distópico, após o fim da América do Norte, surge a Panem um conjunto de doze distritos em que cada um tem a sua função e é comandada pela Capital. Depois da rebelião do 13º distrito contra a Capital, que teve como consequência o extermínio do distrito treze, a Capital como castigo, passa a convocar obrigatoriamente, todo ano, um menino e uma menina entre 12 a 18 anos, de cada distrito, para participar dos Jogos Vorazes, com apenas um objetivo: sair vivo da Arena.

Doze Distritos
Katniss é uma garota de personalidade forte do Distrito 12, responsável pela mineração, que mora com sua mãe e irmã mais nova - seu pai morrei num acidente na mina em que trabalhava. A partir daí Katniss se vê obrigada a tomar frente de sua casa, já que sua mãe ficou seriamente abalada pela morte do marido. Desde pequena seu pai a levava para caçar com arco e flecha - uma das habilidades que ela aprendeu com ele - numa parte proibida da floresta, onde os animais selvagens eram maiores e mais numerosos. Com a morte de seu pai ela encontra um novo parceiro, Gale, um garoto gentil, mais velho que ela e com as mesmas responsabilidades, já que é o mais velho. Ele se torna seu novo e único amigo.


Na 73ª edição dos Jogos Vorazes, o nome da irmã de Katniss é sorteado, e sem ao menos pensar, ela toma o seu lugar, voluntariando-se para os Jogos. Ainda atordoada com tudo ela nota que o segundo nome é de Peeta Mellark, ela o conhece e lhe deve mais um favor, já que ele lhe deu alimento justo quando mais precisava. Katniss não suporta a ideia de lutar com quem salvou a sua vida. Agora ela vai contar com todos esses anos de sobrevivência em seu distrito e deve usar essa vantagem para sobreviver. Muita coisa aguarda a jovem e nem mesmo ela sabe do que é capaz.


Essa foi minha primeira distopia, depois dela eu só me vejo lendo outras e outras (como vocês viram na outra resenha de Divergente, kkk). Não me lembro ao certo como eu descobri esse livro, mas foi paixão a primeira vista. Katniss como qualquer um, quer apenas viver sua vida, sem intervenção do governo, simplesmente viver, isso a torna mais humana, mais próxima do leitor, pois temos necessidades, desejos, vontades, como ela. Tentando fugir da opressão da Capital sobre seu distrito, se vê obrigada a lidar com suas regras, suas vontades e seus costumes, num ambiente totalmente novo. Ela se sente totalmente perdida e isolada e seu único objetivo é sair dos Jogos Vorazes viva.


Sem dúvida ele é uma das minhas personagens favoritas. Ela é do jeito dela sem se importar com o resto e isso a torna única, aproximando-a dos leitores. No decorrer do livro, você percebe o quanto ela amadurece e entende o sistema que a Capital criou, do qual  ela não gosta nenhum pouco.
Eu comecei a ler o livro antes de lançar o filme e foi como se Jennifer Lawrence realmente fosse a Katniss: tanto o cabelo, o rosto como a sua personalidade. Ela era a atriz perfeita para o papel! Para quem não leu o livro ainda vale muito a pena acompanhar essa trilogia e pra quem já leu, deve aguardar até novembro, pois é estreia do filme, eu já estou ansioso.

Bom até a próxima semana! Espero que continuem nos acompanhando!

4 comentários :

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Lucas já havia me falado várias vezes pra ler esse livro e até comecei a ler, só que agora com sua resenha percebo o quanto sou parecida com a personagem principal do livro, já que enfrento quem tiver que enfrentar pra tentar ter um mundo um pouco melhor, mesmo que seja através da disseminação da leitura.
    Obrigada Lucas pela excelente resenha!!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Grazi! Eu anda não li os livro, apesar de adorar os filmes.... Por ora me contento com os filmes, porque ainda não senti aquela vontade louca de lê-los. Estou bem doida para ver Esperança.
    bjs
    www.amorascompimenta.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eykler, o Lucas poderá lhe dizer qual dos dois é melhor, afinal eu ainda não li essa série.
      Mais sempre prefiro o livro!
      Beijos!

      Excluir

Deixe seu comentário