Entrevista - Marih Macar - 44 anos (Autora)


Marih Macar, 44 anos, autora de As Amazonas da Montanha, obra da Modo Editora.


"(Faces de Uma Capa) ...Lindo! Conteúdo interessante e sempre atualizado, além de bastante organizado. Está de parabéns!"




Suas primeiras leituras, foram livros de Maria José Dupré "... na infância... adorava por conta das aventuras narradas, que me faziam entrar na história. "A mina de ouro... o primeiro exatamente não lembro...".

Para ela, a leitura além de uma possibilidade de viagem e de adquirir conhecimentos, torna a pessoa elucidada.Seu 
Quando questionada sobre sua leitura atual, deu uma resposta muito boa.


"No momento estou em fase de Criação. Tenho a fase de ler e a fase de escrever, que é quando me entrego totalmente à obra... Estou na construção do livro dois das Amazonas das Montanhas."

Seu livro favorito é "A casa de Thendara - Marion Zimmer Bradley" por ter gostado do mundo que a autora criou, e há na obra a presença de Amazonas (igual seu livro).

"Não costumo me imaginar determinada personagem... Ás vezes me imagino interagindo com as personagens, mas nunca sendo uma delas."

Sua leitura predileta é Agatha Crhistie devido a sua narrativa dinâmica e manter um mistério, dando pistas de modo que o leitor também tente desvendar os crimes.




Seu Livro - As Amazonas das Montanhas

O livro já foi resenhado, e você pode ver Clicando Aqui.
Ela sempre gostou da temática "Amazonas", por isso resolver romancear o mesmo.

"... Desde a infância... as amazonas da antiguidade, exercem imenso fascínio em mim. Fui pesquisando e me apaixonando cada vez mais pelo tema, até que resolvi "romancear"."

A criação dos personagens foi nascendo aos poucos e suas características também se deram assim.


As Amazonas, de fato existem?

"... Depois de tantos estudos e pesquisas... só tenho a acreditar que elas existam de fato".

Em uma sociedade tão preconceituosa, não acha que pode ser criticada e até deixada de lado por conta do relacionamento existente entre as amazonas?

"Criticada sim, sempre esperei por isso. Sei que exploro o homo erotismo feminino em uma sociedade sem espaço para homens, o que é um tanto ousado. Mas até agora não tive nenhum problema e, quando tiver, pois sei que terei, creio que irei levar com bom humor. Quanto a ser deixada de lado, jamais. Acredito na leitura sem preconceitos. Até porque, mesmo quem não é meu publico alvo, tem a curiosidade natural".

2 comentários :

  1. Muito obrigada pela oportunidade, Grazielli! Foi um prazer!
    ♡♡♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quem agradeço pela oportunidade de conhecer uma obra tão alternativa e cheia de conhecimentos!

      Excluir

Deixe seu comentário