Caminho das Águas - Eva Zooks

Todo livro pra mim é uma nova descoberta, uma viagem enfim, tudo que já falei antes em minhas postagens.
Com o livro da Eva Zooks não foi diferente, e agradeço imensamente pela amiga e parceira Eykler Mota do blog Agridoce, afinal com essa indicação pude ter acesso a uma obra não só de boa qualidade, mas também à uma leitura gostosa do início ao fim.

A obra traz em si de início um amor inexplicável de Anne (personagem principal) por um período de guerra em uma determinada cidade, o que leva-a à descobrir que sua vida está ligada à um segredo, segredo esse que pode esclarecer toda e qualquer duvida existente em seu coração quanto à James (personagem principal).

Pra mim Anne se mostra desde o inicio da obra, dependente e decidida de suas atitudes, fator esse que fez com que eu me identificasse muito com a personagem - fazendo-me gostar ainda mais da obra - o que não é muito difícil quando temos em nossas mãos uma obra tão boa, além disso ela é amante de livros, leitura e do conhecimento.
"... seu primeiro e permanente amor, os livros. Via-os não apenas como fonte de conhecimento, entretenimento, conforto, até mesmo sanidade, mas também como uma espécie de decoração artística de bom gosto..."

Além disso, é através dos livros e da biblioteca que inicia sua busca incessante por algo que nem ao certo sabe o que é, e a partir disso descobre uma história muito linda que faz parte de sua própria história.
É uma obra cheia de detalhes, que faz com que o leitor sinta-se nos Caminhos das Águas e nos caminhos percorridos por Anne e James e demais personagens da obra.
Há na obra momentos de "erotismo" que nos faz pensar estarmos fazendo parte da ação, momentos esses que nos enchem de desejo de fazer parte de fato da história.
Vale a pena ler esse livro, e mais uma vez declaro que os autores brasileiros são de excelente qualidade igualmente à tantos outros autores internacionais.

Obrigada à Eva por me permitir conhecer personagens tão lindos e cheios de determinação e audácias.
Convido-os à desvendar o segredo que existe no Caminho das Águas.

Scarlet - Reynaldo Araújo


De dia Oscar (personagem principal), de noite Scarlet, obra sobre diversidade (homoafetiva), que traz a história de um garoto adolescente indeciso e cheio de questionamentos sexuais.
Muitas pessoas no período da adolescência passam por conflitos sexuais, pessoais e profissionais, e nessa obra, o personagem Oscar narra seus conflitos, sua vida, seus amores e desamores de uma forma descontraída e por vezes engraçada.                           Provindo de uma família totalmente preconceituosa, tendo em vista que seu pai é militar e sua mãe uma escritora totalmente submissa, mesmo que seja para ficar contra seu filho, não aceita a opção de seu filho. No entanto, no decorrer da história a vida mostra a Oscar que nem sempre o que parece é realmente a verdade. Afinal seu pai, todo durão e preconceituoso é desmascarado da pior forma.
 Oscar mostra que quando queremos algo que nos faz bem, devemos lutar até o fim. É uma narrativa muito diferente, que conta a história de um garoto que por diversos motivos decide se transvestir, mostrando que se todos podemos ser o que quisermos, mesmo diante a situações constrangedoras - o importante é tirar sempre que possível coisas positivas de qualquer que seja a situação.

 "... A moral de viver é que na história toda não tem moral de verdade... A gente vive o tempo todo procurando o que fazer para encontrar a felicidade, encontrar o verdadeiro amor... e com isso não damos a menor ideia ao que nos cerca, aos raros momentos felizes do dia a dia..."
Deixo um recado ao autor, teve uma coisa que não gostei muito, achei que ficou faltando algo mais... (Reynaldo depois te falo pra não estragar o gostinho de quem vai ler).
A Editora Metanóia abriu caminhos para uma literatura diferenciada e que não tem muito espaço tanto no mercado, quanto entre os leitores, e que tem seu valor assim como tantas outros tipos de literatura, estou aprendendo muito com os livros da Metanóia, além de me divertir a cada história lida.

                                                     

[Entrevista] - Maurício de Sousa (Autor/Cartunista)






A genialidade, criatividade e diversidade tornaram Mauricio de Sousa um dos mais famosos cartunistas do Brasil.

O criador da internacionalmente conhecida “Turma da Mônica” e de outros inúmeros personagens fizeram parte da infância, adolescência e até os dias de hoje tem agradado distintas gerações.









Personagens únicos, traços inconfundíveis e histórias envolventes caracterizam esse artista único e muito versátil que não deixa de inovar e surpreender a cada novo projeto e esse diferencial demonstra que esse artista não tem limites e ainda veremos muitas novas criações nos encantar e envolver.

Com o intuito de aproximar leitores de autores e artistas brasileiros o Faces de Uma Capa junto com a Nani Candeias, trazem uma entrevista exclusiva com nosso eterno Cartunista Maurício de Sousa esperamos que gostem.





“A leitura é a melhor forma de exercitar a criação. É participativa e educativa. Uma criança que não lê está perdendo uma experiência inesquecível”
(Maurício de Sousa)





Maurício, além de escrever e desenhar, também é um leitor; Iniciou sua vida leitora aos seus seis anos de idade a partir de gibis infanto-juvenis como: “O Globo Juvenil”, “Gibi” e “O Gury”, com isto é possível perceber de onde vem o interesse do autor por gibis.

A partir disso, Maurício de Sousa começou a ler um livro por semana.


“... Pais poetas, escritores, compositores, pintores (meu caso) nos cercam de um ambiente todo propício para seguirmos o caminho artístico. Nada como abrir os olhos num ambiente com música, livros, desenhos, criatividade. Assim, aprendi a folhear livros desde bebê, a ver figuras desde sempre, a ler desde que me caíram nas mãos os primeiros gibis

(Maurício de Sousa)


Sabemos quão importante é a leitura de quadrinhos no início da construção leitora (alfabetização, interpretação, imaginação, etc.) e para Maurício esse fator é mais do que importante.

“Em meus lançamentos nas livrarias, onde tenho contato direto com meus leitores, é comum algum pai dizer que seu filho aprendeu a ler com a Turma da Mônica. O lúdico sempre foi fonte de interesse da criança e a linguagem dos quadrinhos é especial nesse caso pois trabalha a memória visual juntamente com a de leitura. O resultado é alguém interessado em ler apesar dos programas de TV, dos vídeo-games e outras diversões modernas que tiram o tempo de leitura.

 E quem lê quadrinhos também se interessará por livros”.
(Maurício de Sousa)


Dentre outros, Maurício menciona que Will Eisner, foi seu desenhista preferido, lia suas histórias desde criança, e teve o prazer de se tornar seu amigo na fase adulta.

“Histórias centradas no ser humano e com um desenho de excelência, 
foi o criador da expressão “graphic novel””. 
(Maurício de Sousa)

Além dele, Maurício menciona gostar de Gabriel Garcia Marques, Vargas Llosa, Jorge Amado.

























Ao ser questionado sobre qual personagem gostaria de ser, ele menciona ter um pouco de si em cada um de seus personagens, no entanto se identifica com o Horácioe sua filosofia ecológica.

 “... Por essa razão, sempre que posso, gosto de desenhar suas historinhas”.
(Maurício de Sousa)

Vários são os melhores momentos da Turma da Mônica para Maurício, coloco aqui as palavras dele mesmo:

A primeira tirinha publicada em 1959 na Folha da Manhã (hoje Folha de São Paulo) com os personagens Bidu e Franjinha foi um momento bem especial para mim;



Depois a primeira revista da Mônica publicada pela Editora Abril em 1970;


“Mais tarde o primeiro desenho animado para cinema em 1981, a criação do Parque da Mônica nos anos 90 e agora o sucesso da Turma da Mônica Jovem que veio coroar esses 50 anos de carreira”.






E Todos sabem do grande sucesso da Turma da Mônica Jovem, ao ser questionado sobre o sucesso da “série”, Maurício de Sousa responde o seguinte:

“O segredo de manter um público constante num mercado inconstante é sempre estar antenado na linguagem atualizada das crianças. Os pais curtem ter lido a Mônica que falava com eles na linguagem da época e que se adapta à linguagem do filho. Que pai não aprecia um filho que gosta dos mesmos gostos que ele teve em criança? E há uma identificação do leitor com nossas histórias. Um leitor cada vez mais exigente. Por isso nunca paramos de criar novidades”.
(Maurício de Sousa)

 Seus desenhos e produções são feitos tanto à mão, quanto com o uso de tecnologia.


“Não atrapalha a produção de cerca de 1.200 páginas de quadrinhos por mês que temos que entregar”. (Maurício de Sousa)

Uma das dúvidas maiores é quanto o pós Turma da Mônica Jovem, já que essa turma nos acompanhou desde a infância, nesse sentido não podia deixar de questionar Maurício quanto a isso.

“A Turma da Mônica Jovem é a revista de maior sucesso no mundo ocidental. Isso demonstra que acertamos na sua criação. Portanto quero daqui a alguns anos desenvolver também a Turma da Mônica Adulta. Onde os personagens vão começar com uns 25 anos de idade e vão envelhecendo junto com os leitores”. (Maurício de Sousa)





Para finalizar, gostaria de deixar aqui um agradecimento tanto ao Maurício, quanto à essa Turma que me acompanha desde a infância em momentos de precariedade e de felicidade, de verdade me sinto muito lisonjeada pelo carinho e atenção que foi dada ao Faces de Uma Capa e a mim, me emocionei com essa oportunidade, principalmente com o carinho que me foi dado, inclusive o desenho da Mônica dedicado a mim (que me fez soltar uma lágrima de emoção), agradeço ainda ao JAL (assessor de imprensa do Maurício), tenho certeza de que os leitores do blog irão adorar esse post; E um obrigada em especial a participação da leitora Nani Candeias pela participação da matéria/ entrevista. (Grazielli de Moraes)




Agradeço a oportunidade de participar dessa publicação que além de falar sobre um grande artista é um ídolo de toda vida e ao me lembrar de minhas primeiras leituras me vêm a cabeça os gibis escondidos debaixo do travesseiro e não dormia até chegar ao final. Não deixem de incentivar a leitura afinal é maravilhoso ler e melhor ainda quando passa a ser divertido (Nani Candeias)






Por hoje é só amorecos!