A Fada - Carolina Munhoz

Assim como tudo na vida, As Fadas, são seres que só existe porque alguém acredita, e a autora Carolina Munhoz nesse livro, prova a existência desse ser tão mágico,

Com autografo e tudo, li esse livro fantástico, que traz muitas mensagens aos leitores a que se destina - Os Jovens.

Esse livro pra mim foi um "presente", tendo em vista que me fez refletir a vida, as coisas boas da vida, os sonhos, e os rumos que nossas vidas tomam, sem nem sabermos porque, será o poder das fadas conspirando a nosso favor???

E presentes são muito bom porquê "..uma vida sem presentes não tem graça..."

A meu ver o livro mostra um pouco a questão das pessoas irem atrás daquilo que creêm existir... e quando encontram com a verdade, se assustam...

"Se entregue ao amor... Somos seres de um grande criador, que nos deu o amor como fonte de sobrevivência, então pare de fixar em regras que não valem a pena, e viva..."

Pois é, concordo com esse trecho do livro, tendo em vista que as pessoas deixam de fazer e/ou sentir as coisas por medo das regras impostas pela sociedade, não se permitem descobrir novas coisas, pessoas, sentimentos... e com isso acabam que por não viver intensamente, e isso é muito ruim.

Nesse livro Carolina Munhoz (autora) mostra fortes influências vindas provavelmente de autores que ela também deve ter lido, como Paulo Coelho e J. K. Rowling.

Costumo dizer que um bom livro mostra em seus personagens e em cada detalhe um pouco de seu autor... e em A Fada ... é perceptível detalhes e semelhanças com a autora.

Vários são os conceitos abordados no livro, conceitos esses que por vezes são deixados de lado pela juventude, a exemplo disso temos a questão do Sexo que nos dias atuais é tido como prazer e diversão, algo totalmente carnal, no entanto, concordo com Carolina quando menciona o sexo como "... a mais pura forma de amar...".

Um momento que diz muito do que se trata a obra é a hora do ritual, onde a Melaine Anne das Fadas (personagem principal) pede para as fadas presentes abrirem suas asas, eu como leitora digo que parecia que ouvia o tilintar das asas se abrindo, com um sinal de transformação.

Dentre tantas abordagens presentes no livro, acredito que existe uma ainda mais forte que é o fato de jamais desistirmos de nossos sonhos e objetivos e principalmente de quem amamos, pois o mundo da voltas.

Prometo que estou tentando uma entrevista com a autora para conhecermos um pouco mais dessa jovem talentosa.

Blog Carolina Munhoz: http://www.carolinamunhoz.com/blog/
 

O menino do Pijama Listrado - John Boyne

A amizade verdadeira dura para sempre, mesmo diante obstáculos e tristezas, e "O menino de Pijama Listrado" é uma fábula que mostra o que é a verdadeira amizade.

Em meio a guerra Bruno e Shmuel mostram quão pode ser forte e resistente uma verdadeira e sincera amizade... os dois personagens carregam mais do que características em comum (ambos fazem aniversário no mesmo dia), carregam histórias diferentes, famílias diferentes, pensamentos diferentes, no entanto, rompem qualquer uma dessas diferenças e semelhanças ao decidirem tornar-se amigos, cúmplices um do outro.

Muito bacana uma frase que o autor diz, que a meu ver mostra claramente o que é a amizade:

"... um ponto na distância se transformou numa mancha que virou um vulto que virou uma pessoa que virou um menino de pijama listrado..."

Assim é a amizade, ela chega meio camuflada em uma pessoa, que nem sempre esperamos gostar, e assim vai crescendo sem ao menos percebermos, e quando percebemos já estamos imersos num ciclo infindável, onde estamos sempre dispostos a ajudar e ao mesmo tempo esperamos ajuda do outro, damos e recebemos... não conseguimos ficar sem a pessoa, e para Shmuel, Bruno foi além de uma mancha e torno-se "O Menino de Pijama Listrado".

Um livro, que a meu ver não me surpreendeu muito, tendo em vista que eu esperava mais, já que muitas pessoas que o leram falaram que é um livro excelente, porém, podemos tirar lições importantes para a vida, como diz a mãe de Bruno "...podemos considerar que valeu como experiência... Temos que procurar fazer o melhor de uma situação ruim...".


Quem já leu esse livro comente... que no próximo post vou sortear marca páginas a partir dos comentários!!!!





Entrega de Presentess...e... Aniversário!

Leitores do Faces de Uma Capa, ganham livros, já que meu objetivo é disseminar a leitura e o prazer que os livros podem trazer para nossa vida... e também gostaria de compartilhar com vocês um momento muito bom na minha vida... Ontem foi meu aniversário, foi tudo muito bom...






Entrevista - Ricardo 42 anos (Leitor)




"E quando olhamos pra dentro do coração de um livro, fica sempre marcado a expressão na sua face. Em cada capa uma face, em cada face algo diferente, mas algo ali é só seu. As marcas de seus dedos que ficam em cada faces de uma capa." (Ricardo F.)


Ricardo Freire 42 anos, leitor do Faces de Uma capa, e escritor de frases sábias e reflexivas no Facebook, nos deu a honra de uma entrevista. Ricardo, gostaria de ser o Pequeno Príncipe, "pra carregar toda aquela pureza na alma. O mundo está em falta disso".

Primeiro Livro Lido: algum da coleção Vaga - Lume. Mesmo se tratando de livros obrigatórios na escola, alguns Ricardo ainda prestigiava, no entanto, alguns, ele detestava - "quando me lembro dá uma saudade".

 

Leitura Atual?
A garota que você deixou pra trás - Jojo Moyes.

Se pudesse seria... (alguém de alguma história) 

"Talvez sim. Não tenho ninguém específico que gostaria de ser, eu já acho a minha vida uma completa aventura. rsrrsrsrs.... Mas já me vi como Hassan no livro “O caçador de pipas” de Kalled Hussein, me fez lembrar o menino magrelo que adorava pipas na infância. Não gostaria de ser ele, mas ele sou eu quando menino".

Fale o que acha do Faces de Uma Capa:

"Acho que todo grupo, todo blog, qualquer fórum que diga a respeito de leitura é válido. Acho lindo as postagens, a formação de opiniões, os contextos e até as discussões em grupos. Isso só acrescenta a quem gosta de ler".
Em seu Facebook sempre posta frases muito interessantes, são todas de sua autoria?
Todas sim. Por incrível que pareça, eu nunca gostei de poesias, mas eu sempre procurava por elas quando queria falar algo direto para uma pessoa ou um grupo delas, porém, eu nunca encontrava o que queria, ou, quando encontrava parecia meio vago. Daí do nada, eu resolvi escrever o que sentia pra não depender da escrita dos outros. Claro que sei que existem muitos poetas que merecem o meu respeito e eu os respeito, mas por achar vago talvez, eu tenha encontrado meu dom. Hoje eu falo por mim.


O que a leitura é capaz de agregar? A seu ver, a leitura agrega mais calma, esclarecimento, melhor uso da palavra, uso de pontuação, sem contar o fato de a leitura fazer o indivíduo viajar para um lugar "onde fica só você e o livro ao qual está lendo"

"Ler é como aprofundar-se na sua alma. Buscar algo que lhe falta, que lhe completa. Leitura é um hábito que te faz melhor, isso eu garanto".


De onde tira inspiração para as frases que escreve no Facebbok?
Do dia a dia, de um simples bate papo com alguém, de alguma discussão, ou ate mesmo do nada, simplesmente estou trabalhando e o texto ou a frase me vem de uma vez só feito uma chuva de letras.... eu sei que é engraçado, mas é assim, do nada!!

Link do Facebook do Ricardo:
https://www.facebook.com/ricardo.ferraz.716?fref=ts
 






Mais uma coleção para doar para um dos leitores/seguidores do blog...

Se alguém tiver interesse me escreva... vale o primeiro que comentar que quer!!!

Cinder - Marissa Meyer

Cabe aqui antes explicar um pouco sobre duas espécies apresentadas no livro:

CIBORGUES: uma combinação de ser humano com robô. (Cibernético)
Atualmente já existem alguns humanos com essa "tecnologia", principalmente quando se perde um membro do corpo, como na figura.



Lunares: Espécie essa ficticia, com, poderes.



Cinder (personagem principal), uma "ciborgue - mecânica", orfã e desconhecedora de suas origens, se apaixona por um príncipe, em meio a um ataque de uma praga que estava devastando a cidade, praga esta que não afetou a mesma (uma das únicas a não serem atingidas), o que deixou o médico do palácio Dr. Erland muito interessado em seu caso, fazendo - o usá-la como cobaia para a tentativa de encontrar uma cura para a doença - já que o Rei (pai do príncipe Kai) estava acometido da doença.
Levana (pertencente a espécie Lunar) e rainha de Luna, sempre buscou um tratado entre os Ciborgues e os Lunares, no entanto com um objetivo maldoso. Conhecedora da cura da Peste, apresenta-a para Kai somente após a morte do Rei, achando que seria mais fácil selar um tratado com o Príncipe Kai devido à sua inexperiência. Só que não contava com a presença de Cinder, que para ela é apenas uma simples Lunar (fugitiva) que merece ser punida, no entanto irá se surpreender com a revelação de que na verdade a mesma é a Princesa Selene sua prima que ela havia achado que tinha morrido e deixado o trono de Rainha Lunar.
O que dá continuidade à série através do livro SCARLET - da mesma autora.


A meu ver é um livro bem fantasioso, no entanto nos faz viajar a outros mundos.
Bem interessante aos que querem ler um pouco de Ficção e Fantasia.


Fonte da Figura: http://leonardocibercultura.blogspot.com.br/2010/08/ciborgues.html