Amores Cruzados - Fátima Mesquita





"...Caroline está em crise. Seu casamento com Gisa não passa pelos melhores momentos, perdeu um pouco do encanto de tantos anos... até que surge uma admiradora que envia enigmas intrigantes à Carolina..."





Esse livro inicia sua história a partir de um casamento em crise (casamento de Carolina e Gisa), onde já não existem mais palavras para serem ditas e tudo o que antes agradava, nesse momento incomoda. E é nesse momento em que há brigas e desentendimentos e "...As duas estando lá, juntas, mas em universos paralelos e distantes..." que surge uma admiradora "nem tão secreta assim" na vida de Carolina (personagem principal e narradora da história) e começa a atormentá-la e instigá-la a descobrir quem é ela. 

A partir de cartas e envelopes com presentes, a admiradora vai aos poucos se revelando e deixando o leitor com muito mais vontade de descobrir quem é ela do que a própria Carolina. E o mais fascinante da história é que as cartas e objetos enviados são normalmente ligados à Carolina de alguma maneira, como por exemplo o primeiro que foi uma revista de palavras cruzadas (Carolina é fascinada por palavras cruzadas), com enigmas para que ela decifre até descobrir quem é sua admiradora. 
O que ela não imagina é que sua vida amorosa está pra mudar não só a partir de sua escolha, mais a partir também, de descobertas talvez não tão agradáveis assim.

Algumas coisas destacam ainda mais a obra, como por exemplo: a história acontecer em São Paulo, fazendo com que (pelo menos eu que moro em São Paulo rs!) sinta como se estivesse nos ambientes e lugares que a autora descreve muito bem; Cada título de capítulo formar um conjunto de "charadas" de modo a montar um caça palavras no final do livro, muito legal.

Carol conta em sua narrativa como começou seu interesse por mulher e como fez para enfrentar a sociedade "... ás vezes sofrendo uns bocados, achando que aquele desejo era tolo, feio e errado, mas depois sentindo tudo bem ao contrário de novo..." e isso o torna ainda mais peculiar e interessante, já que não é comum vermos as pessoas falarem como virou homossexual, talvez por medo do preconceito ou da não aceitação.

E para finalizar, além de um agradecimento especial para a editora e a autora por me permitirem ler uma obra tão gostosa, deixo uma frase que muito me instigou no livro e que representa a verdadeira mensagem que o livro quer passar em suas entrelinhas:

"... O meu caso era meu comigo... não é a namorada que não se esforça. Não é o pai e mãe que não ajudam. Não é o povo do trabalho que encosta. É a gente mesmo que não toma as rédeas da vida e depois fica... vendo os acontecimentos se desenrolarem..."

0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu comentário