[Faces da Leitura] - Circuler

Olá amorecos... estavam com saudades??? Eu estava morrendo de saudades de postar aqui... mais sabe como a vida é né... às vezes a correria nos faz ter de escolher entre as coisas... isso é tão chato... porque sempre deixamos alguma coisa de lado... Embora eu esteja sumida, fico pensando a todo o momento em vocês e no Faces, e deixo um recadinho aqui, JAMAIS VOU ABANDONAR VOCÊS!!!

Hoje trago mais um post da nossa coluna "Faces da Leitura", espero que gostem do projeto Circuler, que tive o prazer de conhecer em uma das parceria com o projeto que criei Adote Um Livro e Transforme-se.


O Coletivo Circuler é coordenado por Vanessa Hengler e mantido por voluntários como ela.
Iniciou suas atividades em 2013 na região de Parelheiros (SP), por um grupo de voluntários que tem um pensamento e crença em comum a respeito da leitura:

"... a leitura pode modificar as mentes e a maneira de pensar que cada um tem, ampliando a visão de mundo e formando pessoas melhores..".

Com esse objetivo em mente, o primeiro Circuler foi realizado através das doações de livros dos próprios voluntários, em seguida foi se multiplicando as doações e trocas.
Trata-se de um projeto sem fins lucrativos que abrange diversas formas culturais, valorizando a cultura regional através do acesso aos livros e à informação, contempla todas as faixas etárias e atua em diversos espaços públicos, através de parcerias e doações. 
Realizado principalmente na região de Parelheiros, com um ponto fixo uma vez ao mês na Praça Júlio César de Campos (Praça de Parelheiros), sempre aos últimos  domingos do mês das 10h às 15h, contando ainda com a participação e apoio de atividades culturais regionais.



O coletivo é realizado em regiões que não tem acesso a internet e poucos tem acesso à telefone e tecnologia, os livros doados então acabam se tornando um dos poucos instrumentos de acesso a informação e realização de pesquisas.

"... a motivação dos que fazem o Circuler acontecer é poder influenciar e provocar as pessoas a aderirem o hábito de consumir livros e leitura, e, mais do que isso, o acesso a informação...".

Bom amorecos, por hoje é só, logo menos vem resenha nova por ai e sorteio... Beijokas!!!

[Entrevista] - Janethe Fontes (Autora Parceira)

Bom dia amorecos, todos bem? Como foi o dia das mães, espero que bom.

Hoje trago uma entrevista pra lá de especial com a autora e parceira do blog Janethe Fontes. Ela escreveu além dos livros: O voô da Fenix e Vítimas do silêncio, já resenhados aqui no blog, e outros dois que ainda não foram resenhados aqui, mas, parecem se tratar de livros muito bons, ainda mais se forem iguais aos dois já resenhados aqui.



Amante também da leitura, por diversos motivos, dois que se destacam como principais:


"... adquirir conhecimento e também para relaxar. 
Tem coisa melhor que embarcar numa boa leitura?...".

Seu primeiro livro lido, foi o livro, Olhai os lírios do campo - Érico Veríssimo. 

"Não lembro o motivo exato da escolha, porque faz um bom tempo isso, mas acho que foi por conta do título.".

A leitura, para Janethe agrega muitas coisas ao leitor, dentre elas: amplia o conhecimento geral e da própria língua; melhora o vocabulário, a escrita, a comunicação; melhora e desenvolve o senso critico; relaxa e faz viajar.





Atualmente está com algumas leituras em andamento, dentre elas o os livros Uma Sociedade Secreta - J. Maelick, Seis anos depois - Harlan Coben, ADQS - Fabiana Cardoso e dois livros de poesia.

A autora declara não ter um livro favorito e sim gênero favorito, que é o romance policial.

"Sempre gostei demais de livros policiais, mas óbvio que leio outros gêneros também.".

A autora declara não ter um livro favorito e sim gênero favorito, que é o romance policial.

Seus livros:

A autora desenvolve em seu canal no Youtube, um projeto chamado Rotina Literária, que conta sua rotina enquanto autora e um pouco sobre seus livros, confira:



Seus personagens surgem junto com as histórias que escreve, segundo a mesma não há um método de construção específico. 

"Eles (personagens) surgem e vão crescendo/amadurecendo em minha mente. Mas é quando eu sento para escrever/digitar que a história vai realmente se desenrolando... Atualmente procuro escrever todo dia um pouquinho. Porém, quando isso não é possível, não fico grilada, não!".

Além de seus livros, seus vídeos em defesa da literatura e da vida do autor ela já escreveu artigos levantando alguns pontos importantes sobre o mercado editorial/livreiro e sobre o preconceito que os autores ainda sofrem para publicar e "conquistar" leitores no Brasil - Leia clicando nos títulos dos artigos:



Dia das MÃES chegando!


Olá amorecos, o dia das Mães está chegando por isso, o Faces de Uma Capa juntamente com a autora Vanessa Sueroz queremos te ajudar a escolher o presente certo pra essa que é muito especial em nossas vidas.


Sua mãe gosta de rir e se emocionar? Então que tal dar a ela um livro neste dia tão especial?

O livro Eu Te Amo Mais e outros contos é perfeito para a ocasião, porque, além de ser um livro super fofo e nos divertir, está com um preço super acessível lá no blog da autora (Clique AQUI).

Ah... quase esqueci de falar, já resenhei ele aqui no blog.

Que tal aproveitar?!

Memórias de minhas putas tristes - Gabriel García Márquez

Olá amorecos, tudo bem?!



Após uma amiga me indicar ler algo do Gabriel Gárcia Márquez, resolvi caçar algo, e tcharam... eis que surge Memórias de Minhas Putas Tristes - Editora Record em minhas mãos. O livro recebeu o Prêmio Nobel de Literatura e foi o último romance lançado por ele.
Confesso que esperava muito, mais muito mais mesmo do livro, tendo em vista que quem me indicou, vive falando do autor. Porque assim, mesmo o livro sendo muito bem escrito, não gostei muito da história, e até meio que criei uma certa crítica a respeito, talvez por não ter entendido direito?! Ou por eu estar esperando muito mesmo.




Vamos à história:

Ao completar 90 anos, um senhor, apaixonado por prostíbulos desde muito cedo, cronista em um jornal e crítico de música, nunca se achou capaz de amar, talvez pelo fato de se achar feio, resolve procurar um dos prostíbulos que frequenta atrás de uma adolescente virgem, e a dona Rosa Cobarcas consegue pra ele uma menina de 14 anos, pois é, você também deve estar com a mesma reação que eu ao ler isso (ECA).

"... sou feio, tímido e anacrônico.... Vivo numa casa colonial em San Nicolas, onde passei todos os dias da minha vida sem mulher nem fortuna...".

No entanto, no decorrer da história é possível identificar que o "velho" é um senhor em busca de si mesmo, de desvendar o motivo da vida dele ter acontecido da maneira que aconteceu e de início parece se tratar de um cara estúpido e babaca, mas que amadureceu no decorrer da história e encontrou o amor verdadeiro.


Trata-se de um livro, que sim, eu esperava mais, tendo em vista que é um ganhador de Prêmio Nobel, mas, que faz com que o leitor reflita vários assuntos como a velhice, o amor, o sexo, a prostituição, a pedofilia, e o próprio decorrer da própria vida.

"... as putas não me deram tempo pra casar... não sirvo mais.. não sirvo mais... havia tornado a passar a noite com a menina sem tocá-la... se for pra morrer de amor, não importa... o sexo é o consolo que a gente tem quando o amor não nos alcança... ".



Aproveito pra informá-los que está disponível a Gaboteca - uma biblioteca virtual de obras do autor (clique aqui).

Guia de uma ciclista em Kashgar - Suzanne Joinson

Olá Pokémons,

Hoje vou contar um pouquinho sobre o livro publicado pela editora Intrínseca, que também me atraiu pela capa. Felizmente já posso dizer que não só a capa, mas também seu conteúdo possuem uma beleza extraordinária.

O guia de uma ciclista em Kashgar é divido em duas partes: Passado e Presente. O passado é o foco principal do livro, onde retrata a vida de Eva, Millicent e Elizabeth, que estão em Kashgar em uma “missão” evangelista. As três são presas, por tentarem ajudar uma menina de doze anos a parir uma criança.  Obrigada a viver em Kashgar e criar a criança, Eva se arrepende terrivelmente de estar ali. Aliás, vivia em uma crença que não acreditava.

O Guia de uma ciclista é escrito por Eva durante esse período de castidade no deserto de Turquestão.

Já o presente é vivido por Frieda, sem contato com a mãe desde os sete anos, Frieda é surpreendida com uma herança inesperada. Um apartamento cheio de relíquias e um misterioso Guia de uma ciclista em Kashgar. Só que Frieda não conhece a ex-dona do apartamento e nem sabe sua ligação com ela.

Digo que nós somos Frieda, porque assim como ela, estamos juntos descobrindo um passado surpreendente e emocionante.

O guia de uma ciclista em Kashgar é tocante, e dar mais detalhes seria spoiler, por isso vou parar por aqui. Mas se você puder, por favor, LEIA! O que elas passam é real, acontece sim! E estar ciente de outras realidades é excepcional.

Chorei?
Chorei.


Mas estou vivo, e levarei a guerra de Eva comigo para sempre.