[Resenhas] - Doce Insensatez - Vanessa de Cássia

Olá amorecos, tudo bom com vocês?!
Hoje trago mais uma resenha - aliás, é a resenha da continuação de um livro que eu resenhei aqui no blog (Amores Cruzados - Vanessa de Cássia).



O primeiro livro faz qualquer leitor acreditar na possibilidade de amar duas pessoas ao mesmo tempo, só que de maneiras diferentes. 

Já no segundo livro Verônica mostra e sente o que de fato é o amor e por quem de fato vale a pena lutar e seguir em frente.


"... uma nova vida. Hoje estou lavando a alma. Tirando a Verônica que entrou aqui nove meses atrás e que agora se sente limpa e livre...".



Além disso, esse amor a fez voltar de um transe - ou como as pessoas costumam dizer, ressurgiu das cinzas como uma fênix. Afinal ela enfrenta problemas psicológicos e crises intensas, que após a entrada do amor em sua vida tudo mudou e tomou um rumo diferente do que viveu até então.

Seu menino John nesse livro a surpreende com um pedido de casamento pra lé de especial - queria ser ela rsrsrsrs - mas Marcus e Samuel ainda não saíram de sua vida por completo, e para complicar ainda mais, surge mais uma galã em sua vida, dessa vez não menos lindo e intenso que os demais, caberá a ela decidir o caminho a seguir.

E pra piorar ainda mais, todos eles deixam claro suas intenções com ela...

"Verônica Bark, case comigo (John)... todas as vezes que olho para você e penso que já tive você em meus braços, é difícil e irresistível não te olhar (Marcus)...".

E nesse livro ela enfrentará algumas picuinhas criadas de modo a fazer ela a duvidar do amor que existe entre ela e John.

Caberá somente a ela decidir o melhor caminho a seguir e em quem acreditar.

O livro me emocionou do início ao fim, por vezes chorei e ri com os personagens - acredito eu que a autora tem inspirações pra ter escrito essa belezura, porque envolve um romance bem intenso, mas, além disso,  um drama psicológico bem intenso da personagem principal - eu particularmente eu amei!!!

"Quando menos esperamos, a vida nos coloca diante de um desafio para testar nossa coragem e nossa vontade de mudanças neste momento. Não adianta fingir que nada acontece, ou desculpar-se dizendo que ainda não estamos prontos...".

Vamos agora falar dessa edição que está ainda mais linda que o primeiro livro, a começar por essa capa linda de doer, parecendo aqueles filmes que fazem sucesso por bastante tempo em cartaz - parabéns à Marina Avila (mais uma capista pra gente conhecer galerinha).
Não menos importante a edição em si está uma lindeza, com algumas páginas em preto - dando um charme a história.

Galerinha, é um livro que vale muito a pena ler... e com certeza vai se apaixonar... já ansiosa aqui pelo próximo - continuação - que a autora mencionou que pode vir a existir.

Leia, vai amar!

Beijokas! Por hoje é só!!!!

[Diário da Grazi - Bienal do Livro 2018 e nossos parceiros

Olá amorecos, quem ai vai pra Bienal do Livro esse ano?!!!




Então não perca a oportunidade de conhecer nossos parceiros que estarão presentes por lá.
Lista (AQUI)

Você pode criar sua agenda da Bienal - isso é bem legal - assim não fica perdido por lá sem saber por onde começar.


Além disso, terá muita coisa legal pra curtir por lá - confira a Programação - Clique AQUI.

Quem for me avise, quem sabe não trocamos uns marcadores e um cheiro. Vou ver se consigo ir ^.^
Beijokas!!!

[Desbravando Gigantes] - Livros sobre relacionamento familiar

Olá amorecos, tudo bom com vocês?!
Faz tempo que não trago nada nessa coluna, mas hoje trouxe dois livros lindinhos da Editora do Brasil, que trazem uma temática muito importante para a construção de identidade dos pequenos, que é a questão da convivência familiar e suas vertentes positivas ou negativas.

Vamos lá:

A Colcha de Retalhos - Conceil Corrêa da Silva e Nye Ribeiro



Essa belezurinha traz a história de uma avó com seu neto.
Com uma colcha de retalhos, que cada pedaço traz uma lembrança.

O livro traz o relacionamento entre neto e avó - que delícia, quem já viveu isso sabe do que estou falando - aquele abraço gostoso, aquele bolo que só ela sabe fazer...e etc. etc.

E o mais gostoso dessa história é o fato de mostrar de maneira bem gostosa o que é o amor e a saudade.


A edição está super fofa, e as ilustrações são lindíssimas, recomendo que quem gosta de infantis leia essa belezinha!


A história da garrafa vazia - Jonas Ribeiro


Esse já se trata de um familiar com vícios.
O autor já começa sua dedicatória de maneira lindíssima, e deixa claro que se trata de uma temática bem forte - alcoolismo.

"Para as crianças que sonham com uma infância sem bebida. Crianças com sede de abraço, sem mãos trêmulas. Crianças com sede de beijo sem gosto de ruim...".

Traz a história de Gabriela uma criança que tem que lidar com o fato de seu pai ser alcoólatra.

O livro traz também outras temáticas como desempregoe relacionamento familiar.


Além de ter ilustrações que remetem para o fator alcoolismo.

Por hoje é só amorecos, espero que tenham a oportunidade de ler essas belezuras.

Beijokas!

[Lançamentos] - Debora Gimenes - Segredos e Destinos

Olá amorecos, tem lançamento super mega fofo vindo por ai - a autora Debora Gimenes, vai lançar mais um livro e parece ser bem bom viu.


A família Albuquerque é uma das mais respeitadas da cidade de Belo Jardim/MS. Além de ser a maior produtora brasileira de queijo artesanal, é muito querida pela sua generosidade e carinho com toda a população.
Mariana é a filha caçula de Paulo e Ana, e após a morte da mãe se vê obrigada a estudar em São Paulo. Anos depois, revoltada por não crescer no convívio da irmã mais velha e do pai, ela volta para sua cidade natal e descobre segredos que podem devastar com sua vida para sempre.
Segredos e Destinos é a história dessa família e principalmente dessa mulher, que luta pelo seu amor e pela sua felicidade apesar da vida se impor sempre muito feroz a suas escolhas.





Não deixem de conferir mais essa história que está com a capa linda - não acham?!

Leia AQUI

Beijokas!!! 

[Arquivo Confidencial] - Vera Carvalho de Assumpção

Olá amorecos, hoje trago pra vocês mais um Arquivo Confidencial, dessa vez com a autora parceira Vera Carvalho Assumpção, que já esteve no blog algumas vezes e já até nos deu uma Entrevista (AQUI).
Pra quem ainda não conhece. essa coluna está destinada a dar espaço para o/a autor(a) contar como começou sua estrada para o mundo dos livros e da escrita.

E hoje essa linda resolveu nos contar um pouquinho de sua intimidade literária, espero que curtam.


"Faz tanto tempo que a gente se perde no que escreveu e no que viveu..."

Comecei escrevendo contos. No milênio passado, quando comecei, havia concursos de contos em diversas cidades no interior paulista. Eu adorava escrever o conto até a data estipulada e depois ficar esperando o resultado. Melhor ainda era ganhar o concurso e ir receber o prêmio.

Conheci muitas cidades como Franca, Barretos, Araçatuba e tantas outras participando de concursos e indo lá receber o prêmio.


Encontrar boas ideias para os contos era sempre um desafio. Certa vez, uma amiga historiadora que estava escrevendo uma tese sobre o crime das mulheres em São Paulo no século XIX, levou-me ao Arquivo do Estado a fim de ajudá-la a pesquisar os processos e encontrar crimes de mulheres. É um trabalho "trabalhoso". Os processos eram escritos à mão, com letra do escrivão do momento e muitas vezes já bem desbotados.

"Eu me apaixonei!!!"

No Arquivo do Estado, existe um procedimento para se fazer estas pesquisas. A gente pede os processos de determinadas datas (poucos de cada vez). É preciso todo cuidado, cópias nem pensar. Óbvio que não existe separação por crimes de homens e mulheres. É preciso ir lendo tudo. Há muita coisa sem graça. Mas há processos sensacionais. Com depoimentos que mostram o cotidiano da Cidade de São Paulo, quando ela deixava de ser um simples pouso de tropas e começava a ser de "fato" uma cidade.
Desde então, muitos dos meus contos se basearam nestes processos. Uma vez quando ganhei o Concurso de São Bernardo do Campo, que era bem famoso. Fui receber o prêmio com meu marido, meu pai e minha mão. O time completo. Era a história da honra perdida na Rua Formosa. Isto lá por 18... e alguma coisa. Um escravo foi acusado de um estupro e, ao longo dos depoimentos dos testemunhas, fica claro que não havia sido um estupro.

Quem entregou o prêmio do concurso foi o escritor João Silvério Trevisan.


Ele me disse que havia adorado o conto, mas que estava preocupado que eu tivesse plagiado um processo. Respondi a ele que a história estava tão boa que não me dei ao trabalho de plagiar, eu havia copiado diretamente!

"Claro que não copiei, mas a base da história era o processo."

Quando fui classificada em segundo lugar no concurso da Rádio France, também foi um conto baseado no processo de um padre da cidade Itu que conquistou uma mulher casada num confessionário. O padre chegou a ser apontado pela inquisição.
Cheguei a montar um volume com estes contos que se chama Plagiando Arquivos. Ainda não foi publicado.
Lendo estes processos, descobri que as mulheres paulistanas eram muito diferentes das mulheres que viviam na Corte do Rio de Janeiro. Lá as mulheres se vestiam bem, frequentavam a corte, enfim, era uma vida bem mais glamorosa. Aqui em São Paulo, as mulheres eram chamadas de provincianas. Quando os maridos se embrenhavam no interior paulista a fim de plantar café, elas ficavam tomando conta das pequenas chácaras. E muitas delas o faziam com mãos de ferro. Quando o marido retornava e queria retomar a posição de mando, a vida se complicava e alguns acabaram assassinados. Com esta leitura acabei fazendo uma palestra na Bienal de São Paulo sobre "Dramas e mistérios de São Paulo Antiga".


Bem acredito que destas aventuras pelo Arquivo do Estado, somadas ao tanto que gosto de ler romances policiais, acabei criando o detetive Alyrio Cobra, que a Grazi já mencionou algumas vezes aqui no blog (AQUI). 
Um detetive paulistano que adora a cidade e já possui várias investigações publicadas.

Por hoje é só meus amorecos, espero que tenham se deliciado em conhecer mais um cadinho sobre a linda da Vera.
Beijokas!


[Resenhas] - Entre Amores Cruzados - Vanessa de Cássia

Olá amorecos, hoje trago a resenha de um livro que posso dizer que envolve além de um romance pra lá de delicioso amoroso, um quadrado amoroso rsrsrs, se é que posso assim dizer - já que envolvem quatro pessoinhas.

 

Esse livro adquiri na última Bienal do livro (Veja Aqui) - já conhecia a autora e admirava seu trabalho, mais até então não tinha nenhum de seus livros - melhor coisa que fiz, afinal pude conhecer ainda mais sobre a escrita dessa linda, Vanessa de Cássia

Entre Amores Cruzados - Editora Novo Século, é um livro que traz se é que posso assim dizer, um drama de uma personagem cheia de "problemas" a serem solucionados, que talvez nem ela mesma sabe por onde começar.

"Você seria capaz de equilibrar sua vida entre dois amores?... Apaixone-se por ela, por eles...".



Verônica uma jovem de 26 anos, engenheira - afastada do trabalho por problemas de saúde - vive em meio um turbilhão de acontecimentos em sua vida, inclusive depressão, no entanto, mesmo diante a quadros de dor de cabeça aguda, desmaios constantes e outras coisinhas mais, resolve continuar a vida e acaba se apaixonando por seu até então vizinho, Marcus - o homem que parecia perfeito- até que surge então John, um amigo em comum - numa festa de aniversário em que foi, seu menino como ela começa o chamar, não lhe sai da cabeça. E para completar seu "amigo" confidencial de infância Samuel, ressurge e então ela terá que batalhar contra seu próprio coração e lutar com sua razão para decidir entre um dos três.

Mesmo em meio a esse monte de problemas ela se demonstra totalmente forte, passando por cima de tudo que estiver lhe atrapalhando. Isso não significa que seu coração esteja no lugar, ou que esteja sendo fácil, já que cada um dos três "meninos" tem um cantinho especial em seu coração e essa é mais uma coisa que você não consegue atingir.

O livro é uma graça e com uma escrita super fluída e engraçada por alguns momentos, mas também, acabamos nos envolvendo com os dramas da personagem e se apegando com cada um dos meninos, se tornando ainda mais difícil quando Verônica passa pelos dramas e chega o momento de escolher com quem ficar.

Tenho que falar de um capítulo em especial que me fez ficar ainda mais apaixonada pelo livro - o capítulo Encantada, traz pra Verônica uma amostra de que a vida é bela e deve ser vivida sem medo, independente do que o espera lá na frente.

A edição está uma lindeza e essa capa mais ainda. A escrita nem se fala, em alguns momentos somos transplantado pra dentro da história da autora.
E para nossa alegria tem segundo volume (^.^) que eu já estou lendo!!



































Enfim meus amorecos, recomendam que leiam e se deliciem com essa belezura.
Beijokas!!!